Ciência

Crianças: Puzzles melhoram capacidade matemática

As crianças entre os dois e os quatro anos de idade que brincam com puzzles têm melhores capacidades matemáticas no futuro, concluiu um estudo realizado por investigadores da Universidade de Chicago.
Versão para impressão
As crianças entre os dois e os quatro anos de idade que brincam com puzzles têm melhores capacidades matemáticas no futuro. É esta a conclusão de um estudo realizado por investigadores da Universidade de Chicago (E.U.A.), publicado na “Developmental Science”, a 17 de Fevereiro.

Este estudo é pioneiro por analisar as atividades diárias num ambiente normal e caseiro. Foram analisados vídeos de 53 casais de diferentes meios sócioeconómicos em interação com os seus filhos durante hora e meia. O mesmo procedimento foi repetido de quatro em quatro meses. 

Entre as várias atividades, os investigadores perceberam que as crianças entre os 26 e os 46 meses que brincaram com puzzles acabaram por demonstrar melhores aptidões de visualização espacial quando chegaram aos quatro anos e meio.

 
Susan Levine, autora do estudo e especialista em desenvolvimento matemático nas crianças, explicou à Science Daily que estas crianças “têm um desempenho melhor do que as que não brincaram com puzzles, em tarefas que põem à prova a sua habilidade de transformar formas”, o que pode determinar futuras carreiras na área das Ciências, Tecnologias, Engenharias e Matemática (“STEM”).

Analisou-se ainda de que forma os puzzles determinavam o desenvolvimento de competências espaciais. Para tal, as crianças foram divididas em dois grupos: o grupo dos meninos e o grupo das meninas.

Ao primeiro grupo foram dados puzzles com maior grau de dificuldade e os pais abordaram conceitos de espaço. Aos 54 meses verificou-se que o grupo de meninos demonstrava melhor desempenho em tarefas de “transformação mental” do que as meninas.

 
Por isso, Susan Levine defende que é preciso realizar mais estudos que completem os resultados observados. “É necessário perceber se os conceitos fornecidos pelos pais se refletem efetivamente no desenvolvimento das capacidades”, disse à Science Daily.
 
Estão, assim, a ser feitos mais estudos em laboratório, nos quais os pais dão os mesmos puzzles a meninos e a meninas, de modo a verificar se a interação com os pais e a abordagem de conceitos espaciais levaram à melhoria de competências espaciais e perceber a causa da diferença de resultados entre os sexos.
 
Clique AQUI para aceder ao estudo.

[Notícia sugerida por Vítor Fernandes e Maria Sousa]

Comentários

comentários

Etiquetas

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório