Inovação e Tecnologia

Central solar única produz energia durante a noite

Em Espanha há uma central solar única no mundo que não se limita a produzir eletricidade enquanto o sol brilha: também o faz em dias chuvosos e até de noite.
Versão para impressão
Em Espanha há uma central solar única no mundo que não se limita a produzir eletricidade enquanto o sol brilha, sendo capaz de o fazer com a mesma eficácia em dias chuvosos e até durante a noite. 
 
A Gemasolar entrou em funcionamento em Maio do ano passado e não passa despercebida na península da Andaluzia com a sua torre iluminada e os seus 2.650 painéis solares de 120 metros quadrados cada, dispostos por um círculo de 195 hectares.  Porém, o que a faz sobressair entre todas as outras é muito mais do que isso. 
 
“Esta é a primeira central solar mundial que trabalha 24 horas por dia. Funciona tanto de dia como de noite”, explicou Santiago Arias, diretor técnico da Torresol Energy, responsável pelas instalações, à AFP.
 
Como? Graças a um mecanismo “muito fácil de ser explicado”. Os painéis, ao refletir a luz do sol sobre a torre, transmitem-lhe “uma concentração de energia equivalente a mil vezes a que recebemos na terra”.
 
Depois, a energia é armazenada num enorme depósito de sais dissolvidos a uma temperatura superior a 500 graus. Por ação dos sais produz-se vapor, que aciona uma turbina e, assim, gera-se eletricidade, como acontece numa central solar convencional.
 
A grande particularidade da Gemasolar é, portanto, a sua capacidade de armazenamento, que permite que “à noite continuemos a produzir eletricidade com a energia acumulada durante o dia”, esclarece Santiago Arias, salientando que, desta forma, é possível utilizá-la como desejarmos e não como o Sol ordena.

Central produz 60% mais energia do que as tradicionais
 

Até ao momento, o balanço da atividade é muito positivo. Quando comparada com uma central sem sistema de armazenamento, a Gemasolar produz “60% mais energia” e pode funcionar 6.400 horas anuais, contra as 1.000 a 2.000 horas de atividade de um equipamento convencional.
 
“A quantidade de energia que produzimos por ano é equivalente ao consumo médio de 30.000 lares espanhóis, portanto, de cerca de 90.000 pessoas”, afirma o diretor técnico, que adianta que esta tecnologia única proporciona uma economia anual de 30.000 toneladas de CO2.
 
A central exige, no entanto, “enormes investimentos”, sendo que, embora a matéria-prima seja gratuita, a fatura ultrapassa os 200 milhões de euros. Ainda assim, Santiago Arias disse acreditar que o empreendimento vale a pena. Dentro de cerca de 18 anos, “vai transformar-se numa máquina de fabricar notas de 1.000 euros”, brincou.
 
A Gemasolar conta com alguns apoios públicos mas a contribuição de investidores privados estrangeiros é determinante para o seu funcionamento, em particular do grupo espanhol de engenharia Sener e da Masdar, uma empresa de energias renováveis fincnaida pelo governo de Abu Dhabi.
 
Todavia, e apesar dos bons números registados durante os primeiros tempos de operação, Santiago Arias confessou que ainda não foi possível vender para outros países esta tecnologia que, mesmo num contexto de crise, está a despertar grande interesse fora de Espanha.

[Notícia sugerida por Vítor Fernandes e Sofia Baptista]

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub