Inovação e Tecnologia

CAPSPeople: Jovens mostram o que sabem em rede

Permitir a partilha de informação entre estudantes, desde trabalhos, apontamentos ou exames, passando por ideias ou apenas conhecimentos em determinadas áreas. Foi esta a premissa que levou ao nascimento do CAPSPeople.
Versão para impressão
Permitir a partilha de informação entre estudantes, desde trabalhos, apontamentos ou exames, passando por ideias ou apenas conhecimentos em determinadas áreas. Foi esta a premissa que levou ao nascimento do CAPSPeople, uma plataforma portuguesa que funciona como uma rede social de partilha de competências, onde os jovens podem mostrar o que fazem e sabem fazer.
 
A plataforma, inaugurada no início deste ano e desenvolvida por António Ferreira e Sofia Silva, dois ex-estudantes universitários portugueses do Instituto Português de Administração e Marketing de Lisboa e da Faculdade de Farmácia de Lisboa, respetivamente, dá aos utilizadores a possibilidade de partilhar todo o tipo de dados, quer digam respeito à sua área académica, profissão ou “àquilo que mais os cativa no dia-a-dia”.

Ao mesmo tempo que dá visibilidade ao trabalho dos jovens, dá-lhes também a hipóteses de contactar com pessoas que os “ajudem a fazer a diferença”, com simples ficheiros ou pedidos específicos de apoio.

 
“Em conversa com colegas de outras faculdades falávamos, diversas vezes, na inexistência de uma plataforma de partilha de informação entre estudantes. Tínhamos o Facebook, onde há partilha de informação, o LinkedIn, onde podemos dizer o que fazemos, mas não havia nenhuma plataforma onde pudéssemos mostrar o que fazemos e sabemos”, explicam o fundador e a co-fundadora em entrevista ao Boas Notícias.
 
Segundo os mentores, o CAPSPeople distingue-se por juntar “a possibilidade de se partilhar conhecimento com o desenvolvimento pessoal”, abrindo aos estudantes uma via que lhes permite “crescer na rede” e trabalhar no sentido da sua autopromoção. Em suma, quer ajudá-los a “escrever o nome em letra maiúscula”, o que justifica o nome com que foi batizado, inspirado na tecla “Caps Lock”.

Além disso, destina-se a proporcionar uma maior aproximação entre faculdades e pessoas da mesma área, acabando “com o desconhecimento, por exemplo, de um aluno da Universidade Católica, acerca do que é feito no ISCTE”.


Mais conhecimento com menos custos
 
Num momento de crise económica, o portal propõe-se ainda ajudar a que as pessoas adquiram mais conhecimento de uma forma mais fácil, mais rápida e com menos custos. “Se fizermos as contas, percebemos que um estudante gasta, em média, 100 a 200 euros em sebentas, em fotocópias… assim é tudo mais simples”, salienta a equipa responsável pela plataforma.
 
No CAPSPeople, o ponto de partida e o limite são, invariavelmente, os interesses de cada um. “Em Medicina, por exemplo, partilham-se histórias clínicas. Em Marketing, planos de negócio Em fotografia, imagens. Os formatos dos ficheiros são diversos (excel, powerpoint, PDF), e têm associado um 'termómetro' que mede o nível de qualidade atribuído pelos outros utilizadores”.
 
Até a momento, esta plataforma, de criação recente, tem apostado essencialmente em dar-se a conhecer por algumas faculdades, confiando no “boca a boca” para passar a mensagem. Porém, confessam os criadores, “a adesão está a ser francamente boa”, sendo que o site – aberto a todos – conta já com cerca de 500 utilizadores registados, cujas idades se situam, em média, entre os 16 e os 30 anos.
 
“Temos recebido bastantes e-mails de pessoas a agradecerem-nos pelo projeto. Estamos satisfeitos e queremos que, cada vez mais, faça parte do dia-a-dia daqueles que gostam de partilhar conhecimento e de se desenvolverem na rede”, concluem António e Sofia.

Clique AQUI para aceder ao CAPSPeople. 

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub