Mundo

Cão de três patas muda vida de menino com doença rara

A história de um cão com apenas três patas, que mudou a vida de um menino de oito anos, portador de uma doença rara, tem vindo a conquistar o Reino Unido e a aquecer corações nos quatro cantos do mundo. Tímido e assustado, Owen Howkins encontrou em H
Versão para impressão
A história de um cão com apenas três patas, que mudou a vida de um menino de oito anos, portador de uma doença rara, tem vindo a conquistar o Reino Unido e a aquecer corações nos quatro cantos do mundo. Tímido e assustado, Owen Howkins encontrou em Haatchi a força e inspiração para viver e ser feliz, apesar de todos os problemas de saúde. 
 
Para além do menino britânico, são apenas conhecidos 35 casos idênticos no mundo inteiro, ou seja, com Síndrome de Schwartz-Jamel, uma doença que faz com que os músculos do corpo estejam permanentemente tensos, impedindo o crescimento dos ossos. Com ambos os quadris deslocados, Owen consegue deslocar-se alguns metros com a ajuda de um andarilho, mas nunca sem deixar de depender totalmente da cadeira de rodas. 


Ao longo dos anos, a sua condição foi-lhe roubando a autoestima, tornando-o um menino reservado e muito fechado em si mesmo. “Às tantas voltava da escola e nem sequer queria falar de como tinha sido o dia”, conta o pai, Will, de 35 anos, que deixou o seu emprego como engenheiro mecânico para se poder dedicar ao filho a tempo inteiro. 
 
Entretanto, há dois anos, Colleen Drummond, a madrasta do menino, estava no Facebook quando se deparou com a foto de um cachorro, encontrando junto às linhas férreas, abandonado e gravemente ferido. Com a cauda e pata esquerda traseira amputadas, o animal procurava, agora, uma nova família.

Se a ideia de adotar um cão já era falada lá em casa, em Basingstoke, Hants, a notícia só veio incentivar ainda mais a família a acolher um animal de estimação. O que não esperavam era que o mesmo viesse a ter tamanho efeito em Owen, com quem criou fortes laços desde o primeiro dia. 


“Quando o Haatchi chegou, o Owen estava a dormir, na sua cama, no quarto. Andou e andou pela casa atrás do Pixel, o nosso outro cão, até que chegou à porta do quarto e parou. Foi como se pressentisse que devia ter cuidado”, conta Will, citado pelo jornal 'Express'. “Cheirou os lençóis, enfiou o focinho na caixa de brinquedos, mas nunca ousou, sequer, aproximar-se do equipamento de oxigénio, nem da medicação”.

Quando acordou, Owen foi apresentado ao seu novo companheiro. A empatia foi imediata, com os dois a passarem tempo infinito a brincar pela casa. Ao mesmo tempo que se adaptava a uma vida a três patas, Haatchi, sem saber, encorajava o menino a abrir-se mais, por ter um companheiro que, tal como ele, era diferente. 

“A transformação do Owen foi imediata”, garante Will. “Poucos dias depois estava a anunciar, à frente da escola inteira, que queria começar a andar por conta própria, sem cadeiras de rodas, nem andarilhos”. 


“Ele reconstruiu toda a confiança que tinha perdido. O facto de ver o Haatchi a adaptar-se a uma vida com menos uma pata encorajou-o a fazer as coisas por si mesmo”, acrescenta o pai. 
 
As fotos e vídeos que ilustram esta enternecedora história têm conquistado milhares de pessoas, não só no Reino Unido, como também pelo mundo inteiro, através da Internet, do Facebook e do YouTube. Neles é possível ver o carinho e os fortes laços que unem os dois amigos, num retrato caloroso e evidente da postura de proteção que Haatchi tem para com o menino. 
 
“A melhor parte de ter o Haatchi por perto é, todos os dias, chegar a casa, da escola, e dar-lhe um abraço”, diz Owen. 

Acompanhe a história deste dois melhores amigos AQUI.

Notícia sugerida por Maria da Luz

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub