Saúde

Café pode reduzir risco de suicídio em 50%

Beber vários cafés por dia pode reduzir em cerca de 50% o risco de suicídio entre homens e mulheres. A conclusão é de um novo estudo que revela que este efeito protetor poderá estar relacionado com as propriedades antidepressivas da cafeína.
Versão para impressão
Beber vários cafés por dia pode reduzir em cerca de 50% o risco de suicídio entre homens e mulheres. A conclusão é de um novo estudo da Harvard School of Public Health (HPSH), nos EUA, que revela que este efeito protetor poderá estar relacionado com as propriedades antidepressivas da cafeína.
 
“Ao contrário do que aconteceu em investigações anteriores, conseguimos avaliar a associação entre o consumo de bebidas com e sem cafeína e identificar este componente como o maior candidato a razão de qualquer efeito protetor do café”, explica Michel Lucas, o coordenador do estudo, em comunicado. 
 
Os investigadores analisaram dados presentes em três amplos estudos realizados nos EUA e descobriram que o risco de suicídio entre adultos que bebiam dois a quatro cafés por dia era cerca de metade do risco apresentado daqueles que bebiam pouco ou nenhum café ou que optavam por descafeinados. 
 
Além de estimular o sistema nervoso central, a cafeína parece atuar como um antidepressivo ao aumentar a produção de certos neurotransmissores no cérebro, tais como a serotonina, a dopamina e a noradrenalina, o que pode explicar o menor risco de depressão entre os que bebem café, que já tinha sido encontrado em investigações anteriores.

Quatro cafés proporcionam a maior proteção
 

A equipa coordenada por Michel Lucas examinou dados relativos a 43.599 homens envolvidos num estudo entre 1988 e 2008, 73.820 mulheres que participaram numa outra investigação entre 1992 e 2008 e, finalmente, 91.005 mulheres acompanhadas entre 1993 e 2007. 
 
A quantidade de café, descafeinado e cafeína ingerida foi analisada de quatro em quatro anos através de questionários, tendo sido o consumo de cafeína calculado a partir de outras fontes além do café (a principal fonte), como o chá ou o chocolate. Entre os participantes dos três estudos houve 277 mortes por suicídio.
 
Os investigadores relatam não ter observado grande diferença no risco de suicídio entre aqueles que bebiam dois a três cafés ou quatro ou mais cafés por dia, mas o efeito protetor parece ser maior com o aumento da quantidade consumida. 
 
Ainda assim, apesar da descoberta, a equipa não recomenda que os adultos com depressão aumentem o consumo de cafeína, porque a maior parte dos indivíduos tende a ajustar este consumo à sua necessidade de forma natural e o aumento súbito pode gerar efeitos secundários indesejáveis.
 
Clique AQUI para aceder ao resumo do estudo publicado na revista científica The World Journal of Biological Psychiatry (em inglês).

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub