Mundo

África do Sul: Tolerância zero à caça de rinocerontes

NULL
Versão para impressão

O Parque Kruger, localizado na fronteira da África do Sul com Moçambique, conta com um reforço na luta contra os caçadores furtivos de rinocerontes. Desde o dia 30 de maio, o governo sul-africano entregou à Estrutura Nacional de Operações Conjuntas e Informação (Natjoints) a coordenaçãoda lutaq contra a caça furtiva de rinocerontes.

A operação coordenada pela Natjoints – na qual atuam lado a lado polícia e forças armadas no Parque Nacional Kruger – já alcançou alguns sucessos na localização e detenção de alguns caçadores furtivos, avançou a Lusa em comunicado emitido pelo porta-voz do organismo.

Sally de Beer, que é militar na organização, disse em comunicado que “os caçadores furtivos de rinocerontes, que estão bem equipados com armas de grande calibre, encontrarão a devida resistência nesta nova parceria entre a polícia, as forças armadas e os guardas dos parques nacionais”.

Na semana passada foram detidos seis caçadores furtivos no Parque Nacional Kruger. Dois deles foram acusados de caça ilegal, posse de armas e munições, invasão de propriedade privada e tentativa de assassínio.

O Presidente dos Parques Nacionais Sul-Africanos, David Mabunda disse em declarações ao jornal Pretoria News que ” o sucesso da operação conjunta que decorreu na semana passada, assim como as restantes sentenças que têm vindo a ser aplicadas em tribunal aos caçadores furtivos de rinocerontes, irão transmitir uma mensagem clara que de a caça furtiva não é bem vida aquele país”.

Só este ano foram já mortos 71 rinocerontes nas reservas da África do Sul, destes, 46 foram mortos no Kruger, segundo David Mabunda. Em 2010 foram mortos 333 rinocerontes, contra 122 em 2009 e 83 em 2008.

[Notícia sugerida por Vitor Fernandes]

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório