Espetáculos e Exposições

3D: Lisboa antes do terramoto

Palácios, conventos e praças tal como eram antes do terramoto que destruiu Lisboa em 1755 vão poder ser visitados numa reconstituição 3D inédita da capital que inaugura esta quinta-feira no Museu da Cidade.
Versão para impressão
Palácios, conventos e praças tal como eram antes do terramoto que destruiu Lisboa em 1755 vão poder ser visitados numa reconstituição 3D inédita da capital que inaugura esta quinta-feira no Museu da Cidade.

Segundo o Museu da Cidade, o trabalho incluiu a reconstituição de 23 pontos notáveis, como o Terreiro do Paço, o Paço da Ribeira, o Terreiro do Trigo, os palácios Corte Real ou das Necessidades, o Rossio, a Casa dos Bicos, o Hospital Real de Todos os Santos ou os conventos do Carmo, da Graça, de São Vicente e de São domingos.

Além disso, foi feita uma recriação animada em 3D de cinco cenas históricas e momentos do quotidiano do século XVIII e foram criados percursos pré-definidos que estabelecem um circuito pelos pontos notáveis.

O projeto foi desenvolvido ao longo de cinco anos por uma equipa multidisciplinar que cruzou fontes cartográficas, iconográficas, bibliográficas e manuscritas na sua investigação e pela empresa Sdesign-world – Agência de Design Global, que fez a modelação tridimensional. O projeto baseou-se também na grande maqueta executada por Ticiano Volante, nos anos 50, para a exposição “Reconstrução da Cidade depois do Terramoto de 1755”.

Os conteúdos obtidos nesta recriação da Lisboa pré-pombalina podem ser adaptados a diferentes tipos de suporte, desde quiosques multimédia com clips de vídeo, jogos e passatempos, a um DVD interativo.

O Museu da Cidade anunciou também que irá publicar monografias sobre cada um dos 23 pontos destacados, com uma resenha histórico-artística e a explicação do processo de reconstituição.

A exposição “Lisboa 1755. A Cidade à Beira do Terramoto” é apresentada publicamente às 19:00 de quinta-feira, na presença do presidente da autarquia, António Costa, e da vereadora da Cultura, Catarina Vaz Pinto.

Lisboa pré-pombalina no Second Life

Também a Universidade de Évora está a desenvolver um projeto para recuar no tempo a três dimensões e mostrar Lisboa antes do sismo, mas numa plataforma distinta – o mundo virtual Second Life, no qual as pessoas poderão criar o seu “avatar” (representação gráfica de um utilizador numa comunidade virtual) e percorrer o espaço.

O terramoto de 01 de novembro de 1755, que foi seguido de um maremoto e vários incêndios que se prolongaram por três dias, terá provocado cerca de 30 mil mortos e apenas deixou habitável um terço das casas do centro da cidade.

Com um epicentro no mar, entre 150 a 500 quilómetros a sudoeste da capital, o sismo teve uma intensidade nove na escala de Richter.

Comentários

comentários

Etiquetas

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório