Negócios e Empreendorismo

Vinhos: Empresa familiar portuguesa triplica produção

A Quinta da Lixa, empresa familiar vinícola portuguesa da sub-região do Sousa, acaba de investir quatro milhões de euros numa nova linha de produção e numa nova propriedade agrícola com o objetivo de dar resposta à crescente procura interna e externa
Versão para impressão
A Quinta da Lixa, empresa familiar vinícola portuguesa da sub-região do Sousa cujos vinhos verdes têm sido muito premiados na última década em concursos nacionais e internacionais, acaba de investir quatro milhões de euros numa nova linha de produção (2,7ME) e numa nova propriedade agrícola (1,3ME) com o objetivo de dar resposta à crescente procura interna e externa. 
 
Presente, atualmente, em 28 mercados, desde a Europa à Ásia, América do Norte (nomeadamente EUA e Canadá), África e Austrália, o negócio vai agora continuar a crescer com a compra de uma linha de engarrafamento “completa, automática e nutrida com a mais recente tecnologia”.
 
Este investimento vai permitir ao empresário português Óscar Meireles, administrador da Quinta da Lixa, triplicar a produção, fazendo com que a produtora nacional de vinhos verdes passe a ser capaz de engarrafar 9.000 garrafas por hora (o equivalente a 6 milhões de garrafas por ano). 
 
“A economia de escala é, para nós, muito importante, pois com ela conseguimos ser mais competitivos sem termos de sacrificar a qualidade, que é um dos pontos fundamentais de crescimento sustentado da empresa, a produção de vinhos com uma qualidade cada vez mais elevada2, explica o responsável em comunicado enviado ao Boas Notícias. 
 
A produção da nova linha é “amiga do ambiente”, garante a empresa, desde as filtrações (com o uso de filtros tangenciais) ao engarrafamento (com a utilização de embalagens mais leves e que, por isso, são menos poluentes, bem como de caixas feitas de papel reciclado).
 
“A grande inovação desta nova linha está, essencialmente, na tecnologia de enchimento, de higienização e controlo, de inspeção de qualidade e na utilização de bicos automáticos na enchedora”, salienta Óscar Meireles.

Quase 50% do vinho produzido é para exportação
 

Já a nova propriedade adquirida pela Quinta da Lixa, de seu nome “Quinta Nova”, possui um total de 33hectares e vai aumentar a produção de uva da empresa em 350 toneladas, quando estiver totalmente concluída a plantação de vinha, em meados de 2015.
 
Com a aquisição deste terreno, a produtora vinícola passa a ter uma capacidade de produção de uva na ordem das 1200 toneladas e a somar um total de seis propriedades, as Quintas da Lixa, de Sanguinhedo, Nova, da Corredoura, dos Lagareiros e do Souto.
 
A Quinta da Lixa, fundada em 1986 (mas que apenas mudou de nome em 1998, depois de ter sido conhecida como Soporvin – Sociedade Portuguesa de Vinhos) é uma das empresas mais consistentes da Região dos Vinhos Verdes. 
 
A produção anual situa-se nos 4 milhões de garrafas, o que corresponde a uma faturação superior a 5 milhões de euros por ano, sendo que quase 50% do que é produzido se destina à exportação. 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close