Inovação e Tecnologia

Velas decorativas feitas de óleo e azeite usados

A tecnologia foi desenvolvida por uma empresa portuguesa que agora espera levar o negócio além-fronteiras. Trata-se de uma máquina que converte óleos e azeites domésticos em velas de diferentes cores, aromas e formas.
Versão para impressão
A tecnologia foi desenvolvida por uma empresa portuguesa que agora espera levar o negócio além-fronteiras. Trata-se de uma máquina única no mundo que converte óleos e azeites domésticos em velas de diferentes cores, aromas e formas.

OON Candlemaker – assim se chama o aparelho para ter em casa que junta os óleos vegetais usados a “pastilhas” de cor e aroma, criando velas decorativas ao gosto de cada um. De acordo com o jornal Público, o sistema está patenteado a nível internacional e as vendas arrancaram agora, em Portugal e na Europa.

Mário Silva é o gestor de 35 anos responsável pelo desenvolvimento do conceito. Tendo estudado as questões ambientais ligadas aos negócios da Sovena, proprietária das marcas de azeite Oliveira da Serra e o óleo Fula, Mário já procurava há algum tempo uma solução inovadora para reaproveitar os óleos domésticos.

Para o efeito, pediu ajuda a uma amiga da área da química e começou a fazer experiências em casa. Três anos depois, surgiu a OON (Out of Nature), dando origem a uma fábrica em Mira de Aire e um escritório em Lisboa.

Agora, com uma equipa de dez pessoas, a OON iniciou as vendas via Internet e vai estrear-se em algumas lojas de conceito portuguesesas,  como a Alma Lusa, a loja do Museu Berardo e El Corte Inglés. No estrangeiro, existem já lojas em Milão e Copenhaga, estimando-se que, num futuro próximo, a empresa chegue a um mercado alvo de 26 milhões de lares.





A OON Candlemaker custa 323 euros, um valor que inclui a máquina, uma caixa com as sete variedades de pastilhas e dois copos para fazer as primeiras velas. Cada nova caixa de pastilhas custa entre os 18 euros e os 14 euros.

O preço pode não ser acessível a todos, mas Mário Silva admite que possa ser reduzido consoante o aumento das vendas e, consequentemente, da produção.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close