Ciência

Veja online a inauguração do maior telescópio do mundo

No dia 13 de Março, o ALMA - o maior projeto astronómico terrestre do mundo - vai ser inaugurado, no Chile.
Versão para impressão
No dia 13 de Março, o ALMA – o maior projeto astronómico terrestre do mundo – vai ser inaugurado, no Chile. A cerimónia de lançamento deste sofisticado projeto internacional vai ser transmitida em tempo real na internet.
 
De modo a permitir que pessoas de todo o mundo assistam ao lançamento deste importante marco histórico da astronomia, a inauguração vai ser transmitida em direto pela internet, a partir das instalações do Centro de Apoio às Operações do observatório, situado a uma altitude de 2.900 metros nos Andes chilenos. 
 
A transmissão vai decorrer entre as 14:30 e as 16:00 horas (GMT) e pode ser acompanhada, nesse dia, no endereço http://www.almaobservatory.org/inauguration/. Na ocasião serão também apresentados os mais recentes resultados deste observatório.
 
O presidente do Chile, Sebastián Piñera, juntamente com centenas de convidados – entre eles representantes da comunidade científica mundial e comunidades situadas próximo do ALMA – celebrarão o arranque do projeto. 
 
O Atacama Large Millimeter/submillimeter Array (ALMA) é uma infraestrutura astronómica internacional e resulta de uma parceria entre a Europa, a América do Norte e o Leste Asiático, em cooperação com a República do Chile. Na Europa, o ALMA é financiado pelo Observatório Europeu do Sul (ESO).
 
ALMA vai observar as galáxias mais longínquas 

O ALMA consiste num único telescópio com um design revolucionário, composto por 66 antenas de alta precisão localizadas a cinco mil metros de altitude, no norte do Chile. As antenas podem ser deslocadas a distâncias máximas entre si que vão dos 150 metros aos 16 quilómetros, proporcionando ao ALMA um poderoso e variável poder de focagem.

O ALMA estudará a radiação produzida por alguns dos objetos mais frios do Universo. Esta radiação tem um comprimento de onda da ordem do milímetro, entre o infravermelho e as ondas de rádio e é por isso designada por radiação milimétrica e submilimétrica. 
 
A radiação nesta gama de comprimentos de onda provém de vastas nuvens frias no meio interestelar, com temperaturas de apenas algumas dezenas de graus acima do zero absoluto e também das primeiras e mais longínquas galáxias do Universo. 
 
Através do ALMA, os astrónomos poderão estudar as condições químicas e físicas nas nuvens moleculares – as regiões densas de gás e poeira, onde estão a nascer estrelas. Estas regiões do Universo são frequentemente escuras e opacas na radiação óptica, mas brilham distintamente nas bandas do milimétrico e submilimétrico.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close