Saúde

Utentes poderão escolher medicamento mais barato

A partir de sexta-feira, os médicos passam a prescrever os medicamentos pelo seu princípio ativo. A medida vai obrigar as farmácias a vender os mais baratos e dar aos utentes a possibilidade de escolher.
Versão para impressão
A partir de sexta-feira, os médicos passam a prescrever os medicamentos pelo seu princípio ativo. A medida vai fazer com que as farmácias sejam obrigadas a vender os fármacos mais baratos e dar aos utentes a possibilidade de escolher a marca que pretendem adquirir.
 
Uma nota divulgada pelo Infarmed explica que a alteração entra em vigor no dia 1 de Junho mas que serão necessários cerca de seis meses até que o sistema esteja completamente adaptado, especificando que a emissão de novas normas técnicas vai também exigir um período de espera de 90 dias.
 
Com a entrada em vigor da portaria que regulamenta a prescrição por Denominação Comum Internacional (DCI), o médico é obrigado a passar a receita médica com o nome da substância ativa e não com o nome da marca do medicamento. Por seu lado, o utente terá liberdade de escolher o remédio que corresponda à substância, dosagem, forma farmacêutica e dimensão de embalagem, determinadas pelo profissional de saúde.
 
Quanto aos farmacêuticos, estarão obrigados a prestar aos utentes informações sobre os medicamentos mais baratos e a ter disponíveis três dos cinco medicamentos mais económicos do mercado, sendo-lhes exigido que dispensem ao comprador o mais barato, exceto nos casos em que este opte por outro.
 
Existem, porém, algumas exceções, que dão aos médicos autorização para a prescrição de medicamentos específicos, como é o caso dos que possuem margem terapêutica estreita, de reações alérgicas prévias e da terapia crónica definida na lei por terapêutica superior a 28 dias. Quando assim for, o especialista terá apenas de assinalar, obrigatoriamente, as justificações técnicas que impedem a substituição do fármaco prescrito.
 
A autoridade nacional do medicamento adiantou também que as prescrições com data até 31 de Maio de 2012 mantêm as condições de dispensa anteriores até ao termo da respetiva validade. A regulamentação prevê que o período transitório se dê com a manutenção dos atuais modelos de receitas, informatizadas e manuais.

[Notícia sugerida por Patrícia Guedes]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close