Saúde

UPorto: Futebol no combate à obesidade intantil

Uma equipa de investigadores da Universidade do Porto quer combater a obesidade infantil com a prática de futebol. A equipa já conseguiu o apoio da UEFA, que aprovou o programa de futebol recreativo para crianças obesas.
Versão para impressão
Uma equipa de investigadores da Universidade do Porto quer combater a obesidade infantil com a prática de futebol. A equipa já conseguiu o apoio da UEFA, que aprovou o programa inovador de futebol recreativo para crianças obesas apresentado pela equipa.
 
Liderado por André Seabra, professor da Faculdade de Desporto (FADEUP) e investigador do Centro de Investigação em Atividade Física, Saúde e Lazer (CIAFEL) da Universidade do Porto, o projeto visa um grupo de 120 crianças, dos 10 aos 12 anos, especialmente recrutado pela Unidade de Pediatria do Hospital CUF – Porto um pouco por todo o Agrupamento de Escolas de Perafita.

Mais do que uma paixão, o futebol vai ser apresentado como fonte de benefícios para a saúde. A ideia é, entre uns remates e pontapés de bicicleta no relvado, sensibilizar e prevenir os riscos e problemas cardiovasculares e metabólicos consequentes da obesidade infantil. 
 
De acordo com André Seabra, as crianças recrutadas para o programa serão dividas em dois grupos de intervenção. “Um dos grupos vai ser acompanhado ao longo de seis meses e terá um treino intensivo, três vezes por semana, no Padroense FC. Esse treino consiste essencialmente na prática de jogos reduzidos de futebol”, explica o responsável no site da Universidade do Porto. 

Quanto ao outro grupo, “vai estar sediado na escola EB 2, 3 de Perafita e será alvo de um programa de exercício onde predomina a marcha e a corrida.”
Para Alexandre Seabra, “o futebol tem de deixar de ser visto apenas como rendimento, e passar a ser considerado como um “medicamento” capaz de promover a saúde e o bem-estar dos seus praticantes”.

Por isso apresentou o projeto “Soccer as a novel therapeutic approach to pediatric obesity. A randomized controlled trial and its effects on fitness, body composition, cardiometabolic and oxidative markers”, a par de outro 58 projetos no mundo que concorrem a bolsas de apoio financiadas pela UEFA. No final, foi um dos cinco selecionados pelo órgão governante do futebol europeu.

Garantido o apoio, a equipa liderada pelo investigador da FADEUP espera conseguir apoio das instituições nacionais. 

Notícia sugerida por Maria da Luz

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close