i9magazine

Universidades do Minho e Valência acolhem sede europeia para a investigação microbiana 

Versão para impressão

As universidades do Minho e de Valência, em Espanha, vão acolher a sede pan-europeia da Infraestrutura de Investigação de Recursos Microbianos (MIRRI), uma plataforma que visa facilitar o acesso e a gestão legal de recursos microbianos para o desenvolvimento de soluções sustentáveis no domínio das biotecnologias.

A proposta foi apoiada pelos governos português e espanhol, tendo sido aprovada há dias numa reunião com representantes dos sete países membros (Bélgica, França, Grécia, Letónia, Polónia, Portugal e Espanha) que assinaram até à data o memorando de entendimento do MIRRI. No campus de Gualtar da UMinho, em Braga, vai ficar a sede estatutária do organismo e no campus de Paterna da Universidade de Valência vão ser instalados os serviços informáticos e telemáticos, apoiados pela LifeWatch, uma plataforma eletrónica de referência mundial na proteção, gestão e uso sustentável da biodiversidade.

MIRRI será estabelecido como uma entidade legal sem fins lucrativos, seguindo um modelo distribuído com uma unidade central de coordenação e com “nós nacionais” nos vários Estados parceiros. “Pretende-se facilitar o acesso, a nível europeu, a uma ampla gama de recursos microbiológicos e aos dados a eles associados de alta qualidade, dentro de um quadro legal compatível”, explica Nelson Lima, professor catedrático e diretor da Micoteca da UMinho. “Ao promover o acesso a competências e ao fornecer uma plataforma colaborativa que aproxima cientistas de vários centros e repositórios microbiológicos europeus, o MIRRI quer apoiar e fomentar o desenvolvimento de investigação no campo da biotecnologia, gerando soluções eficientes para os grandes desafios da sociedade e estimulando a interação entre a academia e a bioindústria”, acrescenta.

A proposta agora aprovada foi elaborada por Nelson Lima e Rosa Aznar, diretora da Coleção Espanhola de Cultivos Tipo da Universidade de Valência, contando com o apoio da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Portugal, bem como da Secretaria de Estado da Investigação e Inovação, do Ministério da Economia, Indústria e Competitividade de Espanha. Após a fase preparatória, financiada pelo programa-quadro FP7 com um orçamento superior a três milhões de euros, o MIRRI entra na sua fase de consolidação. O processo de formalização do MIRRI-European Research Infrastructure Consortium está agendado para setembro, tendo em vista a sua constituição como entidade legal reconhecida pela Comissão Europeia até ao final de 2019.

O que são recursos microbianos?

Os recursos microbianos depositados nas coleções de culturas públicas e de serviços, como a Micoteca da UMinho, são microrganismos que representam uma miríade da biodiversidade invisível com relevância ambiental, industrial e clínica. Os microrganismos e seus produtos derivados têm um elevado impacto no bem-estar do ser humano pela capacidade de produzirem produtos milenares de fermentação, como a cerveja e o queijo, mas também de fornecerem antibióticos como a penicilina ou novas soluções biotecnológicas para aplicar na indústria alimentar, farmacêutica ou química. Estão ainda na base de milhares de processos patenteados com contributos importantes na reciclagem de lixo e subprodutos industriais e na produção de novas alternativas de energia. Os microrganismos são também essenciais para o estudo de novas doenças infeciosas. Alguns podem ser nocivos para pessoas, animais ou plantas.

O conteúdo Universidades do Minho e Valência acolhem sede europeia para a investigação microbiana  aparece primeiro em i9 magazine.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close