Sociedade

Universidades criam novo “Erasmus luso-espanhol”

Três universidades públicas da região norte de Portugal estão a desenvolver, em conjunto com outros três estabelecimentos da Galiza, um programa "exclusivo" de mobilidade de estudantes de licenciatura e mestrado.
Versão para impressão
Três universidades públicas da região norte de Portugal estão a desenvolver, em conjunto com outros três estabelecimentos da Galiza, um programa “exclusivo” de mobilidade de estudantes de licenciatura e mestrado. Trata-se de uma espécie de 'Erasmus luso-espanhol' ainda sem designação definitiva.
 
O projeto abrange as universidades do Porto, Minho, Trás-os-Montes e Alto Douro, Corunha, Santiago de Compostela e Vigo. Numa fase posterior, pretende-se que seja também alargado aos estabelecimentos de Salamanca, Leão e Valladolid, revela o jornal Público.
 
Para garantir a existência de bolsas de estudo para todos os candidatos, as entidades estão agora à procura de uma instituição bancária que se associe ao programa.

O objetivo é que o projeto luso-espanhol seja mais democrático do que o Erasmus propriamente dito, do qual muitos jovens não beneficiam por falta de recursos económicos, adianta a publicação.

 
As seis universidades envolvidas, nesta primeira fase, contam com cerca de 70 mil alunos. Para os líderes regionais, este intercâmbio, à semelhança do que acontece a nível europeu, pode ser uma forma de fomentar, estrategicamente, a cooperação e a identidade na euro-região.

“A mobilidade da comunidade jovem universitária pode ser uma semente germinadora do nosso futuro comum. Temos de ter uma base social forte, com afinidades e trocas intensas e naturais, e uma opinião pública verdadeiramente comum”, revelou o gabinete de Emídio Gomes, presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDRN), em declarações ao Público. 
 

O projeto foi acolhido com entusiasmo no seio dos reitores portugueses. Ouvido pelo mesmo jornal, José Marques dos Santos, reitor da Universidade do Porto (UP) considerou que este “programa não seria apenas bom para a região norte, mas para todo o país.”

O reitor da UP recordou que “os estudantes de hoje serão os investigadores de amanhã e que o intercâmbio de alunos pode ser mais uma ajuda para a constituição, no futuro, de consórcios de universidades responsáveis por grandes projetos europeus”.

 
O projeto foi acordado numa reunião entre Emídio Gomes, presidente do CCDRN, e o presidente da Junta da Galiza, Alberto Nuñez Feijóo, na 11.ª Semana Europeia das Cidades e Regiões, que decorreu este mês, em Bruxelas. 
 
Notícia sugerida por Elsa Fonseca 

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close