Ciência Em Destaque

Universidade do Minho sedia vinte sociedades científicas

São atraídas pela dinâmica e pelo prestígio desta academia, desde a qualidade de investigação às parcerias e ao currículo dos seus quadros.
Versão para impressão
por redação

Há cinco sociedades internacionais na lista. A Associação Mundial de Investigação em Fibras Naturais, recém-criada pelo professor Raúl Fangueiro, junta membros da Argentina ao Japão. A rede pioneira de excelência une cientistas, técnicos, empresas, institutos e cidadãos desde a criação de conhecimento à comercialização de produtos inovadores. Já o Instituto Europeu de Excelência em Engenharia de Tecidos e Medicina Regenerativa (Expertissues) fica no AvePark – Parque de Ciência e Tecnologia de Caldas das Taipas. Liderada pelo diretor do Grupo 3B’s e vice-reitor Rui L. Reis, a rede tem 22 filiais em 13 países e procura novos materiais e terapias capazes de regenerar ou substituir ossos e cartilagem, por exemplo.

Por seu turno, a European Public Choice Society, ligada a políticas públicas e economia, junta membros de mais de 30 países, tem 45 anos e é dirigida pela primeira vez por um português, Francisco Veiga, também líder da Escola de Economia e Gestão da UMinho. A sua sede é a instituição do presidente em exercício, logo ficará em Braga até 2019. Também neste campus mora o Centro de Referência em Segurança da Água, gerido pelas universidades do Minho (através do catedrático José Vieira) e de São Paulo, Brasil. Reúne agentes e instituições para a investigação, formação, auditoria e consultoria sobre segurança da água e saúde pública. Quanto à Sociedade de Filosofia da Eurorregião Galiza-Norte de Portugal, encabeçada pelo professor João Ribeiro Mendes, é o primeiro núcleo do género e visa promover o estudo, o debate e a formação filosófica permanente.

O campus de Gualtar é também a morada do Observatório Lusófono dos Direitos Humanos, o Centro de Estudos Jurídicos do Minho, a Associação de Psicologia da UMinho, as associações portuguesas para a Literacia (Littera) e para o Desenvolvimento da Carreira e a Sociedades Portuguesa de Vida Selvagem. Já na cidade-berço, a Escola de Engenharia da UMinho acolhe a Iniciativa Internacional para a Sustentabilidade do Ambiente Construído (iiSBE), a Women in Engineering Portugal, a Associação para a Promoção da Bioenergia e os laboratórios da Associação Nacional de Pellets Energéticas de Biomassa. Somam-se as sociedades portuguesas de Biotecnologia e de Segurança e Higiene Ocupacionais e as associações portuguesas de Construção em Madeira e Derivados, dos Engenheiros e Técnicos Têxteis e de Sistemas de Informação, que também representa no país a Association for Information Systems.

A UMinho domicilia outras entidades externas ímpares, mas sem o estatuto de sociedade científica, como a Universidade das Nações Unidas – Unidade de Governação Eletrónica, em Guimarães. Refira-se ainda que diversos peritos da academia minhota presidem importantes entidades internacionais sediadas fora de Portugal. Por exemplo, Maria Assunção Flores está na Associação Internacional de Estudos sobre Professores e o Ensino, Paulo Machado na Sociedade Internacional de Investigação em Psicoterapia e Eloy Rodrigues na Confederação Mundial de Repositórios de Acesso Aberto. O mesmo sucede com José Vieira na presidência da Federação Europeia das Associações Nacionais de Engenheiros, Jaime Correia de Sousa no Grupo Internacional de Cuidados Primários Respiratórios e Rui L. Reis na Sociedade Internacional de Engenharia de Tecidos e Medicina Regenerativa.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close