Negócios e Empreendorismo

Univ. do Minho convidada para abrir pólo em Xangai

O reitor da Universidade do Minho (UM) anunciou esta semana que a instituição "foi convidada para integrar um pólo internacional de ensino de línguas e culturas estrangeiras na Universidade de Xangai".
Versão para impressão
O reitor da Universidade do Minho (UM) anunciou esta semana que a instituição “foi convidada para integrar um pólo internacional de ensino de línguas e culturas estrangeiras na Universidade de Xangai”.

Este anúncio foi feito à margem das celebrações do 37º aniversário da Universidade do Minho, onde António Cunha salientou ainda que a UM “foi das poucas universidades do mundo a ser convidada para este projeto”.

A Universidade de Xangai está a implementar um centro de estudos dedicado em exclusivo ao ensino de línguas e culturas estrangeiras. Para isso tem convidado universidades de todo o mundo para marcarem presença nesse novo pólo de ensino.

O reitor da UM espera que, “muito em breve”, a universidade venha a estar presente num dos mais importantes centros económicos do mundo.

O secretário de Estado do Ensino Superior, Manuel Heitor, sublinhou durante as comemorações do aniversário da UM, em Braga, a “centralidade crescente que a UM tem assumido no contexto do ensino superior em Portugal”.

De acordo com o responsável do governo a UM “representa hoje, em Portugal, cerca de 9% do número de estudantes do ensino superior público e cerca de 11% dos novos doutorados”.

O secretário de Estado recordou que quando a UM nasceu “existiam cerca de seis mil estudantes no ensino superior, um número que na passagem do milénio já era de 380 mil e que hoje chega aos 400 mil”.

Quanto ao número de investigadores, “existiam, nessa altura, perto de 2.000. Hoje, são cerca de 45 mil investigadores, a tempo integral, num total de 75 mil ligados a esta atividade”, acrescentou.

“Na altura, a despesa total em ciência e tecnologia representava 0,3% do Produto Interno Bruto (PIB), cerca de 300 milhões de euros, assegurados na sua maioria pelo Estado. Hoje, investe–se na área 2.900 milhões de euros, o equivalente a 1,7% do PIB, com os privados a assegurarem metade desse valor”.

Manuel Heitor manifestou a “confiança” da tutela no futuro da universidade, desejando que a UM “continue a crescer, tanto no alargamento do recrutamento do ensino superior, como no reforço da capacidade científica e no envolvimento em redes internacionais”.

Comentários

comentários

Etiquetas

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close