Cultura

UNESCO convida cidade portuguesa para património mundial

A UNESCO convidou o município de Vila Real de Santo António, no Algarve, a candidatar o núcleo pombalino do seu centro histórico e a vila de Cacela Velha à Lista Indicativa do Património Mundial.
Versão para impressão
Em reconhecimento do seu trabalho de requalificação urbana, a UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura convidou o município de Vila Real de Santo António, no Algarve, a candidatar o núcleo pombalino do seu centro histórico e a vila de Cacela Velha à Lista Indicativa do Património Mundial.
 
Em comunicado ao Boas Notícias, a autarquia de Vila Real de Santo António explica que a candidatura tem em consideração o facto de o seu núcleo histórico constituir, na atualidade, um dos melhores exemplos da arquitetura e do urbanismo do século XVIII – uma cidade fábrica, fundada de raiz nos ideais iluministas – cuja importância está identificada e preservada no Plano de Pormenor de Salvaguarda do Núcleo Pombalino do município. 
 
Projetada para ser a cidade ideal do Iluminismo, Vila Real de Santo António, tal como a Baixa Pombalina, em Lisboa, “teve por base o conceito de racionalização geométrica, tendo todas as dimensões e formas do seu traçado ortogonal sido definidas proporcionalmente, desde a métrica das ruas aos quarteirões, lotes, edificações e vãos de portas e tipos de edifícios”.
 
De traçado regular conforme os princípios racionais e geométricos, a Vila Pombalina é, pois, a perfeita articulação entre a arquitetura e o urbanismo, constituindo a “cidade ideal”, diante dos princípios formais das urbes do “Século das Luzes”.
 
A candidatura de Cacela Velha, por seu lado, relaciona-se com a “singularidade e o grau de preservação do seu núcleo histórico”, “a riqueza e antiguidade dos achados arqueológicos”, “a sua localização e enquadramento paisagístico”, bem como “a existência de um projeto consolidado de investigação histórica e arqueológica com mais de 15 anos”. 


“Singularidade” e “riqueza” de Cacela Velha estão entre os motivos da candidatura a Património Mundial © CM Vila Real de Santo António
 

“Estas duas candidaturas dão ainda mais força à estratégia desenvolvida, nos últimos 10 anos, ao nível da conservação do património, facto que levou a que Vila Real de Santo António fosse a primeira cidade do país a ver aprovada uma Área de Reabilitação Urbana, tenha criado um um Plano de Pormenor de Salvaguarda do Núcleo Pombalino e posto em marcha o maior plano de requalificação do seu Centro Histórico, avaliado em 1,5 milhões de euros”, afirma Luís Gomes, autarca da cidade.
 
Segundo o presidente da câmara de Vila Real de Santo António, “quer a paisagem urbana [do seu núcleo pombalino], quer a paisagem histórica e natural de Cacelha Velha, na sua configuração atual, apresentam um elevado nível de autenticidade e de investigação, correspondendo aos critérios definidos pela UNESCO no que se refere à Convenção para a Proteção do Património Mundial”.  
 
Nas próximas semanas, o município de Vila Real de Santo António vai definir os membros da comissão científica que irá acompanhar a candidatura, reunindo associações, entidades públicas e privadas, moradores e comerciantes “num processo que pretende consolidar a autenticidade e originalidade do concelho, ampliando o seu estatuto como destino turístico e patrimonial de excelência”.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close