Sociedade

UMAR recebe estatuto de utilidade pública

Pela primeira vez o governo considera uma associação feminista como "entidade de utilidade pública". A atribuição foi dada à União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR) que se dedica ao combate da violência doméstica e luta pelos direitos das mul
Versão para impressão
Pela primeira vez o governo considera uma associação feminista como “entidade de utilidade pública”. A atribuição foi dada à União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR) que se dedica ao combate da violência doméstica e luta pelos direitos das mulheres há 34 anos.

“Desde 1976 que lutamos na promoção das condições de vida e de trabalho de todas as mulheres, sem distinção de classe, de etnia e orientação sexual. É nesse sentido que consideramos que de facto somos uma entidade de utilidade pública”, explica ao jornal a líder da UMAR, Maria José Magalhães.

” Espero pelo menos que a partir de agora passe a existir um maior respeito pelas organizações de mulheres”, afirmou a mesma responsável.

Segundo Maria José Magalhães, muitas ONG em Portugal não “precisaram de mais de três décadas para passarem a ter o estatuto”.

Maria Magalhães acredita que “este país continua muito misógino em relação à cidadania das mulheres, por causa de organizações como a UMAR serem constituídas apenas por elementos femininos”.

“São umas heroínas”, garante Maria José Magalhães sobre as mulheres que durante meses se privam de filhos e familiares na defesa de outras.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close