Ambiente

UE quer reduzir emissões poluentes em 40% até 2030

A Comissão Europeia apresentou, esta quarta-feira, o novo quadro de política climática e energética que prevê a redução das emissões de gases com efeito de estufa em 40% até 2013 e o reforço das energias renováveis.
Versão para impressão
A Comissão Europeia apresentou, esta quarta-feira, o novo quadro de política climática e energética que prevê a redução das emissões de gases com efeito de estufa em 40% até 2013 e o reforço das energias renováveis.
 
“A ação climática é fundamental para o futuro do planeta e uma política de energia verdadeiramente europeia é-o igualmente para a nossa competitividade”, afirmou, em Bruxelas, o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso. 
 
Segundo o dirigente europeu, citado pela Lusa, “o pacote hoje apresentado prova que abordar as duas questões em simultâneo não é contraditório, levando-as antes a reforçarem-se mutuamente”. 
 
“É do interesse da União criar uma economia geradora de emprego e menos dependente da energia importada através de uma maior eficiência e do recurso mais generalizado a energia limpa de produção interna”, defendeu Durão Barroso.
 
De acordo com o chefe do executivo comunitário, o objetivo de redução em 40% das emissões de gases com efeito de estufa até 2030 é “ambicioso”, tratando-se de “um marco economicamente mais rentável na via para uma economia hipocarbónica”, suportado pelo objetivo simultâneo “de 27% para as energias renováveis”. 
 
No âmbito deste novo quadro em matéria de clima e energia para 2013, a Comissão exortou ainda o Conselho e o Parlamento Europeu a acordarem, até ao final de 2014, que a União Europeia “preconize a redução de 40% em princípios de 2015, no âmbito das negociações internacionais sobre um novo acordo mundial para o clima que deverão ser concluídas em Paris” no final desse ano. 
 
Bruxelas definiu também novos objetivos para as políticas de eficiência energética, um novo sistema de governação e um conjunto de novos indicadores “destinados a garantir a competitividade e a segurança do sistema energético”. 
 
“O quadro visa impulsionar a evolução para uma economia com baixo teor de carbono e um sistema energético competitivo e seguro que garanta energia a um preço acessível para todos os consumidores, aumente a segurança do aprovisionamento energético da União Europeia, reduza a nossa dependência das importações de energia e crie novas oportunidades de crescimento e emprego, tendo em conta os potenciais impactos dos preços a longo prazo”, referiu o executivo comunitário.
 
Estas novas diretivas deverão ser analisadas pelos chefes de Estado e de Governo no Conselho Europeu da primavera, que decorre entre 20 e 21 de março, em Bruxelas.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close