Inovação e Tecnologia

UE quer poupar milhões com softwares “open source”

A Comissão Europeia anunciou, esta quarta-feira, uma nova política com o objetivo de ajudar as autoridades públicas a evitarem a dependência de um único fornecedor de TIC. A mudança poderá trazer uma poupança na ordem dos 1,1 mil milhões/ano.
Versão para impressão
A Comissão Europeia anunciou, esta quarta-feira, uma nova política com o objetivo de ajudar as autoridades públicas a evitarem a dependência de um único fornecedor de TIC (Tecnologias da Informação e Comunicação) e a apostarem nos softwares livres, os chamados “open source”. A mudança poderá trazer uma poupança na ordem dos 1,1 mil milhões por ano ao setor público da União Europeia (UE).
 
Segundo um comunicado da Comissão, a abertura de concursos públicos pode, por exemplo, atrair um maior número de proponentes com melhores propostas, sendo que a duplicação deste número reduz, normalmente, o montante do contrato em 9%. Por outro lado, trabalhar com normas (em vez da especificação de uma única marca, ferramenta, sistema ou produto TIC) aquando da aquisição de sistemas poupa dinheiro aos contribuintes.

Além disso, sublinha o organismo europeu, “uma maior utilização de normas torna mais fácil o intercâmbio de dados entre os sistemas públicos, podendo os cidadãos fornecer os seus dados apenas uma vez a qualquer administração pública”, bem como “os serviços de administração pública em linha transfronteiras de que os cidadãos e as empresas necessitam quando viajam, trabalham, estudam ou fazem negócios na UE”. 
 

Neste sentido, a Comissão publicou um guia com o propósito de auxiliar os funcionários responsáveis pelo planeamento e aquisição de sistemas e serviços TIC para as organizações públicas, ajudando os países, as regiões ou os setores de aplicação a desenvolverem uma estratégia geral nesta matéria. 
 
O guia “ajuda-os também a avaliar as normas existentes de uma forma justa e transparente, de modo a poderem escolher as que melhor apoiam a sua estratégia e evitam o 'aprisionamento'” e fornece-lhes “orientações práticas” para os ajudarem a assumir a nova iniciativa ao nível da adoção de softwares “open source”.

“As normas abertas criam concorrência, conduzem à inovação e permitem poupar dinheiro. O guia hoje publicado visa ajudar as autoridades nacionais a aproveitarem todas as oportunidades para a inovação e a eficiência”, declarou, a propósito da novidade, Neelie Kroes, vice-presidente da Comissão Europeia. 

Notícia sugerida por David Ferreira

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close