Ambiente

UE: Portugal tem a frota de veículos mais ecológica

Portugal lidera o ranking que diz respeito à frota de novos veículos ligeiros mais eficientes e mais limpos, o que o torna o país com a frota mais ecológica entre os 27 estados-membros da União Europeia (UE).
Versão para impressão
Portugal lidera o ranking que diz respeito à frota de novos veículos ligeiros mais eficientes e mais limpos, o que o torna o país com a frota mais ecológica entre os 27 estados-membros da União Europeia (UE). A conclusão é de um estudo da Federação Europeia dos Transportes e Ambiente  (T&E), da qual a portuguesa Quercus faz parte.
 
O estudo em causa mostra que, em 2011, os novos veículos ligeiros de passageiros em Portugal emitiram, em média, 122,8 gramas de dióxido de carbono por quilómetro. No segundo lugar da lista dos mais eficientes surge Malta (124,5gCO2/km) e em terceiro a Dinamarca (125gCO2/km).
 
Em comunicado, a Quercus explica que existem vários fatores que justificam o desempenho positivo de Portugal. Entre estes fatores está, por exemplo, o facto de a frota média ser dominada por veículos de dimensões mais reduzidas (e menos poluentes) do que a da média dos países da UE.
 
“São boas notícias para Portugal e devem ser lidas como um estímulo nesta altura em que o país sofre com a crise e precisa de lançar novas âncoras para reinventar e recriar a sua economia à luz destes bons exemplos”, afirmou a ministra da Agricultura e Ambiente, Assunção Cristas, em declarações à Lusa a partir do Qatar, onde participa na conferência da ONU sobre alterações climáticas.
 
Para a governante, a economia do futuro deve ser “mais verde e sustentável, assente numa dinâmica de baixo carbono”, e Portugal “pode aproveitar a crise para reconverter muitas coisas no sentido de uma economia de baixo carbono, mais equilibrada” nas vertentes económica, ambiental e social.

Estudo avalia o progresso quanto à redução das emissões
 
O estudo da T&E sustenta que os fabricantes de automóveis estão a ter um melhor desempenho do que a maioria dos seus concorrentes asiáticos com vista à redução das emissões para novos veículos ligeiros de passageiros para os 95gCO2/km em 2020, valor definido pela legislação Europeia. 
 
Este estudo é publicado anualmente desde 2006 e avalia o progresso dos fabricantes automóveis europeus no esforço de redução das emissões de CO2 dos novos veículos ligeiros para 2015 (130gCO2/km). 
 
Em 2012, pela primeira vez, a investigação abordou também o progresso dos fabricantes para atingir a meta para 2020, atestando que é mais fácil cumprir as metas europeias de redução das emissões do que a indústria europeia tem vindo a invocar, desde que a legislação europeia entrou em vigor em 2009.
 
Francisco Ferreira, da Quercus, reforça que “é importante a indústria automóvel continuar empenhada em reduzir as emissões de CO2 dos novos veículos” e que esta “dê prioridade a tecnologias menos poluentes”. 
 
“Por exemplo, o peso dos veículos é um fator determinante para reduzir o consumo de combustível e emissões, e obter grandes poupanças em faturas de combustível, e muito pode ainda fazer-se neste campo”, defende, acrescentando que este é um passo “fundamental para cumprir a meta de redução de gases de efeito de estufa

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Mais recentes

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close