Ambiente

UE: Monsanto desiste de plantar novos transgénicos

O gigante das sementes transgénicas vai desistir de tentar obter novas autorizações para plantar os seus produtos geneticamente modificados (OGM) na União europeia.
Versão para impressão
O gigante das sementes transgénicas vai desistir de tentar obter novas autorizações para plantar os seus produtos geneticamente modificados (OGM) na União europeia. A Monsanto tomou esta decisão, revelada esta semana, devido à forte oposição que se tem feito sentir em território europeu. 
 
“Já não vamos pedir as aprovações para o cultivo de novas culturas  de OGM na Europa”, disse Brandon Mitchener, representante da Monsanto na  Europa, acrescentando que a multinacional norte-americana vai focar o seu  negócio nas sementes convencionais e na sua venda para a União Europeia  (UE). 
 
A informação foi confirmada pela Comissão Europeia, que disse que “tomou  nota da decisão” da Monsanto, que desenvolve OGM e produtos agroquímicos  amplamente utilizados nos Estados Unidos e noutros países. 
 
A Monsanto tinha cerca de seis pedidos de autorização de produção  de OGM, principalmente sementes de milho e soja, agora retirados, mas mantém a solicitação da renovação do milho MON 810, plantado sobretudo na Península Ibérica. 

Greenpeace aplaude decisão
 

A organização ambientalista Greenpeace já saudou a atitude da Monsanto. “São boas notícias para a ciência e investigação na Europa”, disse Mark  Breddy, porta-voz da Greenpeace Europa, citado pela agência Lusa.  

“Ao longo do último par de décadas, os produtos geneticamente modificados  provaram ser uma tecnologia ineficiente e impopular, com riscos inaceitáveis  para o nosso meio ambiente e saúde”, acrescentou Breddy. 
 

Vários países europeus – como a França, a Alemanha, a Áustria e a Espanha – proibiram a plantação de produtos transgénicos no seu território. 
 
Segundo a Reuters, em Setembro de 2012, um grupo de investigadores franceses da Universidade de Caen divulgou um estudo onde revelam que ratinhos alimentados com milho modificado da Monsanto morrem mais cedo do que os animais alimentados com milho não modificado. No entanto, o estudo foi contestado pela European Food Safety Authority e outras entidades.

Protesto global
 

No passado mês de Maio, milhares de pessoas, em mais de 50 países, protestaram contra o gigante das sementes transgénicas. Em Portugal, quatro cidades juntaram-se ao movimento, com Lisboa a liderar o protesto reunindo centenas de manifestantes em frente ao parlamento.

Após este protesto, que registou forte adesão na Europa, a Monsanto manifestou, pela primeira vez, intenção de retirar os pedidos que tinha pendentes no espaço europeu. 

Notícia sugerida por Leonor Brito

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close