Mundo

UE celebra Dia da Europa e fim da II Guerra

O Dia da Europa, que assinala a declaração que lançou as bases da União Europeia, celebrou-se este fim de semana um pouco por todo o continente. Nas comemorações deste dia, em Matosinhos, a ministra do Trabalho, Helena André, pediu uma Europa ma
Versão para impressão
O Dia da Europa, que assinala a declaração que lançou as bases da União Europeia, celebrou-se este fim de semana um pouco por todo o continente. Nas comemorações deste dia, em Matosinhos, a ministra do Trabalho, Helena André, pediu uma Europa mais solidária. O dia da Europa coincide ainda com os 65 anos do fim da II Guerra Mundial, que também foram assinalado um pouco por todo o continente.

Foi há 60 anos que, na Sala do Relógio do Ministério dos Negócios Estrangeiros francês, a Europa lançou as suas raízes. Foi aí que o então ministro dos Negócios Estrangeiros Robert Schuman pronunciou a declaração fundadora da Comunidade Europeia.

Era o dia 9 de Maio de 1950. À frente dos jornalistas, o chefe da diplomacia francesa fez um apelo, ao inimigo recente, a Alemanha: propôs-lhe que juntasse as suas produções de carvão e de aço às de outros países, materiais fundamentais para a indústria do armamento.

Mas o futuro primeiro-francês ministro, Robert Schuman, foi ainda mais longe ao propor que fosse uma Alta autoridade comum a ambos os países a gerir estas produções. E chamou os outros países que desejassem a juntar-se, nesta aventura.

“A França sempre teve como objectivo essencial, servir a paz. A Europa não tem feitos, tivemos a guerra. A Europa não se fará com um golpe, nem numa construção conjunta: far-se-á com realizações concretas, criando uma solidariedade de facto”, disse nesse dia Robert Schuman.

Um ano depois, seis países criaram a CECA, a Comunidade Europeia do Carvão e do Aço que deu origem à Comunidade Económica Europeia e depois à actual União Europeia, que conta agora 27 estados. Portugal é membro da UE desde 1986.

Ministra pede uma Europa mais solidária

Em Matosinho, na abertura das comemorações em Portugal do Dia da Europa, a ministra do Trabalho e Solidariedade Social, Helena André, defendeu este domingo uma “Europa mais unida” para fazer face aos “ataques especuladores” que têm como “presas” preferenciais a Grécia, Portugal e Espanha.

“Precisamos de ter uma Europa mais unida e mais solidária, para poder fazer face àquilo que têm sido os ataques especuladores contra alguns países, inclusivamente contra Portugal”, afirmou Helena André em Matosinhos, citada pela agência Lusa.

A sessão, centrada no Ano Europeu Contra a Pobreza e Exclusão Social, contou também com a presença do comissário europeu para o Emprego, Assuntos Sociais e Exclusão, László Andor, que voltou a considerar “inaceitável” que “quase 84 milhões de europeus” vivam abaixo do limiar da pobreza.

László Andor elogiou os esforços que Portugal está a fazer no combate à pobreza, enquanto a ministra do Trabalho admitiu, sem quantificar, que o país terá de ser “ambicioso” nesta matéria.

“Em 10 anos, Portugal conseguiu reduzir de 26 para 18 por cento o risco de pobreza do nosso país. Contudo, penso que temos de ter alguns objetivos ambiciosos”, afirmou, acrescentando que esses objetivos estão a ser negociados no quadro europeu.

60 anos de UE e 65 do fim da II Guerra

A celebração do 60º aniversário do relatório Schumann, “certidão de nascimento” da Europa unida, coincide com 65 anos do fim da II Guerra Mundial. Um pouco por todo o continente, celebrou-se o fim daquele conflito.

O Presidente francês, Nicolas Sarkozy, prestou homenagem, este sábado, aos habitantes da Alsácia e da Lorena, que foram incorporados à força no exército alemão na II Guerra Mundial.

No seu discurso aos alemães, a chanceler Angela Merkel, que hoje enfrenta um difícil teste eleitoral, apelou à necessidade de combater o anti-semitismo. “Devemos assumir uma responsabilidade perpétua face às vítimas da guerra”, declarou.

A Rússia comemorou este domingo o fim da II Guerra Mundial com uma parada em Moscovo que pretende constituir um sinal de pujança política e militar. Cerca de 40 chefes de Estado e de Governo participaram na cerimónia.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close