Ciência

UCoimbra desenvolve medronheiros mais produtivos

Investigadores da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) em parceria com a Escola Superior Agrária de Coimbra, desenvolveram, através do processo de clonagem, medronheiros mais produtivos, com frutos de qualidade e resi
Versão para impressão
Investigadores da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) em parceria com a Escola Superior Agrária de Coimbra, desenvolveram, através do processo de clonagem, medronheiros mais produtivos, com frutos de qualidade e resistência superior, conforme noticia a Lusa.

A investigação desenvolvida ao longo dos últimos cinco anos pelo especialista em biotecnologia vegetal Jorge Canhoto e Filomena Gomes centrou-se na melhoria do comportamento vegetal do medronheiro, “uma planta com grande potencial económico e ambiental, mas ainda pouco estudada” e pouco aproveitada em território nacional.

De acordo com os responsáveis o objetivo é “fornecer aos produtores plantas de qualidade para serem exploradas em termos agrícolas, industriais e mesmo medicinais.”

O projeto iniciou-se com a seleção das plantas “boas produtoras” de frutos, junto dos proprietários, em colaboração com a Direção Regional de Agricultura do Centro a associações de produtores florestais.

Foram também recolhidas amostras do Minho ao Algarve para avaliar a diversidade de espécies de medronheiros existentes em Portugal. Foram depois selecionadas um conjunto de “árvores de elite”, explicou.

O trabalho laboratorial incidiu, depois, na caraterização molecular das plantas – “espécie de impressão digital” -, a partir da qual são desenvolvidas as metodologias de clonagem.

Atualmente, a investigação investe na “otimização” desse processo de transferência, estando a ser utilizada uma técnica, denominada “micorrização”, que consiste em associar às plantas um conjunto de fungos “necessários a que cresçam mais e produzam melhor”, disse Jorge Canhoto.

“Pretende-se que a adaptação às condições do solo seja mais eficaz, evitando o uso de adubos químicos e fitofármacos”, explicou.

Os medronhos têm potencialidades a vários níveis. Podem ser explorados a nível alimentar “devido ao alto teor de açúcar e os frutos podem ser utilizados para produção de compotas e geleias. Em termos farmacêuticos, os medronheiros apresentam propriedade anti-sépticas e diuréticas”.

Já a nível ambiental, o medronheiro possui “um forte impacto na proteção e reabilitação dos solos”, como os afetados por incêndios.

[Notícia sugerida pelo utilizador Vítor Fernandes]

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close