Sociedade

U. Coimbra faz estudo para a Força Aérea dos EUA

Um grupo de investigadores da Universidade de Coimbra está a desenvolver um estudo para a Força Aérea Americana, sobre o impacto da exposição continuada a nanopartículas de prata.
Versão para impressão
Um grupo de investigadores da Universidade de Coimbra está a desenvolver um estudo para a Força Aérea Americana sobre o impacto da exposição continuada a nanopartículas de prata. O objetivo é avaliar se estas substâncias, muito utilizadas em equipamentos militares, são prejudiciais à saúde humana.
 
Financiado pelo European Office of Aerospace Research and Development (EOARD), o Departamento de Investigação Científica da Força Aérea Americana encontra-se, neste momento, no Mitolab, um laboratório de referência internacional no estudo da mitocôndria, a analisar a evolução do nível de toxicidade no interior das células.
 
Para isso, foi exposta uma amostra de ratinhos a diferentes concentrações de nanopartículas de prata, durante 10 semanas. O contacto permanente “permite apurar se há bioacumulação e quais os seus efeitos junto das células de órgãos vitais do organismo como os rins, coração, fígado e pulmão”.

“Queremos perceber quais as células afetadas (se há algum tipo de especificidade), e em que medida, por forma a estudar medidas profiláticas», explica o coordenador, Carlos Palmeira, em comunicado enviado ao Boas Notícias.
 
A investigação surge na sequência de um estudo anterior, realizado entre 2008 e 2009, em linhas celulares, após um exigente processo de verificação das condições técnicas e de segurança do Mitolab por parte dos cientistas do US Air Force Office of Scientific Research.

À data, concluiu-se que o contacto continuado com nanocompostos de prata afeta a capacidade da mitocôndria de exercer a sua função de produção de energia, necessária para a manutenção das funções vitais celulares.
 

Com base nos resultados obtidos na altura, foi, agora, diligenciado este novo estudo em modelos animais, que “permite decifrar em que medida a função da mitocôndria fica comprometida e quais os danos gerados nos principais órgãos do organismo”.
 
Segundo Carlos Palmeira, “com essa informação é possível acautelar os cuidados necessários ao uso deste tipo de material na construção de equipamentos”.

Notícia sugerida por Maria Pandina

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close