Saúde

Tetraplégicos comandam robô através da mente

Um homem e uma mulher tetraplégicos conseguiram, com sucesso, dar ordens a robôs e computadores através do implante BrainGate, desenvolvido pela Universidade de Brown (EUA), que descodifica os sinais cerebrais dos pacientes.
Versão para impressão
Um homem e uma mulher tetraplégicos conseguiram, com sucesso, dar ordens a robôs e computadores através do implante BrainGate, desenvolvido pela Universidade de Brown (EUA), que descodifica os sinais cerebrais dos pacientes.

Os testes realizados para confirmar a eficácia do implante foram descritos num artigo publicado na revista cientifica Nature que divulgou também, esta quinta-feira, uma reportagem vídeo sobre a investigação.

No vídeo vemos uma mulher, de 58 anos, que ficou com todos os membros paralisados após um severo acidente vascular cerebral (AVC), há cerca de 15 anos, a beber pela primeira vez café sem ajuda de terceiros guiando, através do seu pensamento, um braço robótico que levou a garrafa da bebida até si.

No vídeo também é possível ver o testemunho de um homem que ficou tetraplégico após ter sido esfaqueado no pescoço e que foi capaz de controlar as ações do rato do computador através de ordem cerebrais.

96 elétrodos da espessura de um fio de cabelo

O dispositivo BrainGate, do tamanho de um comprimido, é implantado cirurgicamente a poucos milímetros do córtex cerebral numa zona superficial do cérebro. Constituído por 96 elétrodos da espessura de um fio de cabelo, o implante regista a atividade cerebral dos pacientes e descodifica-a para depois a encaminhar para o robô, computador ou outros equipamentos.

O principal desafio desta investigação é a parte da descodificação das ordens cerebrais: quanto mais complexo for o pensamento do paciente implantado mais difícil será transmitir essa ordem para os respetivos equipamentos.

Os dois voluntários do estudo foram sujeitos, nos últimos anos, a treinos muito intensivos para conseguir dar as ordens de forma a serem corretamente descodificadas.

O projeto BrainGate está a ser conduzido por uma equipa internacional de cientistas e médicos liderada pela universidade norte-americana de Brown. A equipa acredita que, no futuro, este implante poderá permitir que pessoas paralisadas consigam reconquistar o controlo do movimento dos seus membros. O BrainGate poderá também permitir que pessoas amputadas controlem mentalmente o movimento das suas próteses.

Clique AQUI para aceder ao artigo publicado na Nature.

[Notícia sugeria por Diana Rodrigues, Elsa Martins e Raquel Bâeta]

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close