Inovação e Tecnologia

Tecnologia portuguesa acelera diagnóstico do cancro

O projeto português Blue Stain venceu, esta semana, o prémio Arrisca C com a apresentação de uma tecnologia que permite um diagnóstico rápido do cancro, sem que seja necessário o processamento de amostras em laboratório.
Versão para impressão
O projeto português Blue Stain venceu, esta semana, o prémio Arrisca C com a apresentação de uma tecnologia que permite um diagnóstico rápido do cancro, sem que seja necessário o processamento de amostras em laboratório.

A tecnologia apresentada permite obter, de forma rápida, uma coloração citológica (análise das células), eliminando a necessidade de processar estas imagens por um laboratório.

Este diagnóstico é feito através de imagens registadas digitalmente, permitindo uma observação imediata, explicam os responsáveis do projeto num comunicado enviado ao Boas Notícias.

Ideia valeu 22 mil euros

A ideia, da autoria de Fernando Ferreira, Paula Alves, Eduarda Novais e Hugo Prazeres, valeu um prémio de 22.500 euros, juntamente com uma consultoria especializada em diversas áreas de negócio, formação e serviços de incubação de empresas.

Para além da Blue Stain, houve outros concorrentes premiados, como por exemplo o projeto do primeiro dispositivo de fixação externa que permite a estabilização, alongamento e transporte ósseo, desenvolvido pela BMHtec; bem como a ideia do StillHere, um dispositivo que, recorrendo ao wireless, emite um alerta quando o bebé é deixado na viatura.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close