Inovação e Tecnologia

Tecnologia lusa permitirá ver interior do corpo em 3D

Um consórcio internacional liderado pelo Instituto Superior Técnico (IST) vai desenvolver uma tecnologia que permite ver o interior do corpo humano a tr?s dimensões (3D) através de uma dose mínima de raios-x.
Versão para impressão
Um consórcio internacional liderado pelo Instituto Superior Técnico (IST) prepara-se para desenvolver uma tecnologia que vai permitir ver o interior do corpo humano a três dimensões (3D) através do uso de uma quantidade mínima de raios-x.

De acordo com um comunicado enviado pelo IST ao Boas Notícias, esta tecnologia constitui-se como uma alternativa à radiografia tradicional e vai aplicada em áreas como a medicina dentária ou a traumatologia e para o diagnóstico de doenças como o cancro.

A tecnologia em que o projeto se baseia já existe para a luz vísivel, denominada por imagem plenóptica, que consiste em usar um sensor especial de fotografia capaz de registar a imagem e a direção dos raios de luz, esclarece o IST.

Através do novo método, porém, depois do uso deste sensor, a informação é processada para reconstruir uma imagem em profundidade, passando de um pixel a duas dimensões para um elemento de volume, ou voxel, a três dimensões.

“Esta nova tecnologia permitirá realizar imagens com menor dose[de raios-x], contrariamente às tecnologias utilizadas atualmente, que pelo risco associado à radiação ionizante, são reservadas aos casos mais graves”, explica Marta Fajardo, coordenadora do projeto e investigadora do Instituto de Plasmas e Fusão Nuclear do IST. 

A equipa que vai desenvolver o projeto VOXEL inclui especialistas neste tipo de sensores, líderes da comunidade de raios-x, especialistas em metrologia e tomografia, bem como especialistas numéricos em reconstrução de imagem tridimensionais, aliando profissionais de seis centros de investigação europeus e uma empresa de alto valor acrescentado.

O consórcio em que participa o instituto nacional vai receber um financiamento de 3,99 milhões de euros, dos quais 760.000 vão ser entregues a portugal Portugal para serem usados durante os próximos quatro anos.

O dinheiro foi conseguido através dos projetos FET (sigla em inglês para Tecnologias Emergentes e Futuras) do programa Horizonte 2020, que tem como objetivo premiar o pensamento visionário, abrindo novas possibilidades tecnológicas com soluções radicalmente inovadoras. Nesta edição do concurso, concorreram cerca de 643 projetos, dos quais 26 foram selecionados.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close