Saúde

Tabaco: Dispositivo deteta fumo passivo

O aparelho mais pequeno do que um telemóvel é capaz de detetar a presença de nicotina no ambiente e em diferentes tipos de materiais e informar o utilizador sobre os níveis de exposição ao fumo passivo.
Versão para impressão
Investigadores norte-americanos criaram um dispositivo que deteta a presença e concentração de nicotina, alertando o utilizador para os níveis de exposição com que se depara. O aparelho, mais pequeno do que um telemóvel, é capaz de detetar a substância em diferentes tipos de materiais e registar a quantidade de cigarros fumados num determinado espaço.
 
O mecanismo desenvolvido pela Universidade de Darthmouth, nos Estados Unidos da América, pretende garantir a segurança dos potenciais fumadores passivos, fazendo-os saber qual o risco de exposição em que se encontram. Para além da funcionalidade de alerta, o dispositivo pode revelar também a quantidade de cigarros que foram fumados num mesmo local.
 
“O dispositivo desenvolvido consegue detetar com fidelidade o fumo passivo em tempo real através da absorção do vapor da nicotina no ambiente”, explica o estudo publicado no início deste ano na revista científica norte-americana Nicotine and Tobacco Research. 
 
O aparelho foi testado numa câmara de fumo controlada por microprocessadores, utilizando como referência padrão para esta investigação o fumo passivo vindo dos cigarros. Para a deteção foram fumados dez cigarros em simultâneo dentro do mesmo espaço, sendo que o dispositivo conseguiu detetar a existência de partículas suspensas de monóxido de carbono e de nicotina.
 
Os autores do estudo salientam que ficou reconhecido no ano de 2006 que “não existem níveis seguros de exposição ao fumo passivo”. A inexistência de “um aparelho de monitorização pessoal que apresente, em tempo real, os dados sobre a exposição” levou a que os cientistas levassem a cabo esta investigação.
 
Os cientistas continuam a trabalhar nesta investigação e esperam conseguir reforçar as leis que restringem o consumo de tabaco em ambientes fechados, ao mesmo tempo que sensibilizam os fumadores para os riscos do consumo junto de crianças e de outras pessoas não-fumadoras.
 
Clique AQUI para aceder ao estudo publicado na revista Nicotine and Tobacco Research (em inglês).

[Notícia sugerida por Elsa Martins e Maria Manuela Mendes]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close