Mundo

Sucateiro fica milionário ao descobrir peça rara

Nos EUA, um sucateiro ficou milionário ao descobrir que a peça de arte que tinha em casa era um ovo Fabergé com um valor estimado de 24 milhões de euros. O homem comprou a peça por cerca de 9 mil euros com intuito de a vender a alguém que a derretess
Versão para impressão
Nos EUA, um sucateiro ficou milionário ao descobrir que a peça de arte que tinha em casa era um ovo do famoso joalheiro Carl Fabergé com um valor estimado de 24 milhões de euros. O homem tinha comprado a peça de ouro por cerca de 9 mil euros com intuito de a vender a alguém que a derretesse.

Durante anos, os potenciais compradores recusaram a sua oferta e só agora, através de uma pesquisa na internet, é que o sucateiro descobriu o verdadeiro valor da peça feita de ouro, safiras e diamantes.
 

“É como se o Indiana Jones tivesse encontrado a Arca Perdida”, conta Kieran McCarthy, o especialista da joalharia londrina Jewellery Wartski, que avaliou o ovo, ao jornal The Telegraph.
 
O homem, que optou por permanecer anónimo, tinha a peça de arte há já muitos anos pousada na sua cozinha. Uma noite, enquanto navegava na internet, descobriu um artigo online sobre os ovos Fabergé e reconheceu a sua peça de arte numa imagem.
 
“Ele voou diretamente para Londres, a sua primeira visita à Europa, para nos ver. Não dormia há dias. Trouxe uma fotografia do seu ovo e eu soube imediatamente o que era”, revela McCarthy que voou para os EUA para analisar a peça de arte.
 

Image and video hosting by TinyPic


“Era uma casa muito moderna no meio do oeste norte-americano, ao pé de uma autoestrada e de uma loja de donuts. E lá estava o ovo, ao lado de alguns bolos, no balcão da cozinha”, descreve o especialista.

“Eu examinei o ovo e disse: 'você tem um Fabergé Imperial Ovo da Páscoa'”. Ele quase desmaiou. Literalmente caiu no chão de espanto”, conta McCarthy.

A joalharia comprou então o ovo, com cerca de 8,2 cm de altura, em nome de um colecionador de peças Fabergé. 

Ovo foi desenhado no séc. XVII para o Czar
 

Desenhado por Carl Fabergé para o Czar Alexandre III, para oferecer à esposa pela Páscoa em 1887, o ovo foi apreendido pelos Bolcheviques que o venderam em 1922.
 
Em 2011, investigadores da Fabergé descobriram uma imagem do ovo num catálogo de 1864 da casa de leilões nova-iorquina Parke Bernet e entenderam-no como uma prova de que a peça sobreviveu até meados do século XX.
 
O ovo acabou por ir parar a um mercado de velharias onde foi comprado pelo sucateiro, agora milionário. “Isto deve dar esperança a todos os entusiastas de antiguidades. Há ainda grandes tesouros a encontrar”, conclui McCarthy.
 
O atual proprietário vai emprestar o ovo à joalharia Warski para exibição pública entre 14 a 17 de Abril na sede da empresa.

Clique AQUI para aceder ao site da joalharia e ver mais fotos desta valiosa peça.

Notícia sugerida por André Luís e Maria Manuela Mendes

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close