Inovação e Tecnologia

Sistema português recarrega implantes eletrónicos

Um projeto português inovador que permite recarregar, de uma forma não invasiva, as baterias de dispositivos médicos implantados vai ajudar a reduzir a necessidade de recorrer à habitual cirurgia para substituição de baterias internas.
Versão para impressão
Um projeto português inovador que permite recarregar as baterias de dispositivos médicos implantáveis de uma forma não invasiva vai ajudar a reduzir a necessidade de recorrer à habitual cirurgia para substituição de baterias internas.

O sistema criado por António Abreu, aluno de doutoramento em Sistemas de Energia Sustentável que integra o Programa MIT Portugal, garante uma vida mais longa dos dispositivos implantados no corpo humano, como é o caso do pacemaker ou dos desfibrilhadores.

Para além de recarregar as baterias, o sistema “permite definir um consumo de energia personalizado”. O estudante português explica no site oficial do MIT Portugal que o “fluxo de energia pode ser regulado e adaptado de acordo com as necessidades do dispositivo eletrónico e da patologia do paciente”.

“Garante-se simultaneamente o fornecimento de energia a um canal de comunicação com o operador no exterior para efeitos de diagnóstico e reprogramação do implante. Nestas circunstâncias, não haverá demanda de energia a partir da bateria interna”, acrescenta.


O aparelho desenvolvido pelo português permite reduzir o recurso à cirurgia de substituição de baterias que se realiza em cada cinco ou sete anos. Esta invenção vem ajudar os doentes que estão dependentes de aparelhos eletrónicos para executar as suas funções básicas diárias e manter a sua qualidade de vida.
 
O protótipo patenteado por António Abreu nos EUA e na Europa, com a colaboração do programa português PRIME e da Comissão Europeia, foi primeiro concebido para pacemakers.

Com o desenvolvimento deste projeto, foram encontradas novas potencialidades que permitem integrar o aparelho em dispositivos como desfibriladores, corações elétricos artificias, bombas de insulina ou outro tipo de próteses internas.

O projeto de investigação português foi galardoado em 2009 com a menção honrosa do Prémio Engenheiro Jaime Filipe, que distingue projetos inovadores dedicados à produção de desfibrilhadores implantáveis recarregáveis.

Notícia sugerida por Patrícia Guedes

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close