Ciência

Simulador da vida na Terra prevenirá epidemias

Uma equipa internacional de cientistas tem vindo a desenvolver o Living Earth Simulator (LES, ou Simulador da Terra Viva), uma ferramenta que permitirá recriar tudo o que acontece no nosso planeta, desde o clima à disseminação de doenças, transações
Versão para impressão
Uma equipa internacional de cientistas tem vindo a desenvolver o Living Earth Simulator (LES, ou Simulador da Terra Viva), uma ferramenta que permitirá recriar tudo o que acontece no nosso planeta, desde o clima à disseminação de doenças, transações financeiras e até o trânsito.

No seu pleno funcionamento, este simulador poderia ajudar a prevenir epidemias, descobrir métodos para combater as mudanças climáticas ou até identificar o surgimento de crises financeiras na sua fase mais incipiente.

“Muitos dos problemas que enfrentamos hoje – instabilidade social e económica, situações de guerra, disseminação de doenças – relacionam-se com o comportamento humano, mas existem lacunas no que toca à compreensão do funcionamento da sociedade e da economia”, refere à BBC Dirk Helbing, do Instituto Federal Suíço de Tecnologia, justificando a vontade de criar o LES.

Segundo Helbing, há um maior conhecimento científico acerca do início do universo do que em relação ao estado atual da Terra. O simulador viria, portanto, esbater esse fosso.

O funcionamento deste novo sistema exige a montagem de supercomputadores, que sejam capazes de efetuar grandes cálculos e monitorizar todos os dados relativos à atividade planetária em todas as áreas. Os equipamentos ainda estão a ser desenvolvidos, mas vários dados estão já a ser gerados.

A equipa de Dick Helbing já identificou mais de 70 fontes de dados online que poderão ser usadas pelo sistema, incluindo a Wikipedia, o Google Maps e bases de dados governamentais.

O próximo passo a dar será a integração dessas informações em modelos que façam uma previsão rigorosa da atividade do nosso planeta. Isso será possível com a maturação da tecnologia web semântica, refere Helbing. O cientistas acredita, porém, que o maior desafio da implementação do LES é outro.

“Tem-se tornado óbvio, nos últimos anos, que necessitamos de indicadores mais eficazes que o Produto Interno Bruto (PIB) para julgar o desenvolvimento social e o bem-estar de uma nação”, declara à BBC.

O desenvolvimento de novos e melhores métodos de medição do estado da sociedade seria também outro dos objetivos fundamentais do LES, para explicar questões de saúde, educação e ambiente. “E por último, mas não menos importante, (as questões) de felicidade”, acrescenta Helbing.

[Notícia sugerida pelo utilizador Hugo Mota]

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close