Inovação e Tecnologia

Siemens escolhe Leiria para criar academias de formação

São inauguradas, esta quarta-feira, em Leiria, as primeiras "Academias Siemens" do mundo, que ambicionam formar, por ano, naquela cidade portuguesa, 1.200 alunos do Instituto Politécnico local.
Versão para impressão
São inauguradas, esta quarta-feira, em Leiria, as primeiras “Academias Siemens” do mundo. As academias estão instaladas na Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Leiria (IPL) e ambicionam formar, por ano, naquela cidade portuguesa, 1.200 alunos nas áreas da automação e do software industrial.
 
Através de uma nota de imprensa, António Mira, diretor da área da Indústria da gigante alemã Siemens em Portugal, explica que a aposta da empresa em Leiria surge da “utilização do software” e dos equipamentos na indústria “da região, que tem uma ligação muito forte aos moldes, plásticos e vidro” e que o investimento da Siemens nas academias portuguesas vai ser “continuado”, embora não refira o montante.
 
Segundo o responsável, a Siemens irá apoiar “na colocação de licenças de software e de equipamento no IPL”, assegurando também “apoio técnico e facilitação de estágios curriculares na empresa, em Portugal e no estrangeiro, aos estudantes com os melhores trabalhos realizados com recurso ao software e equipamento” das duas academias.
 
Em entrevista à agência Lusa, o presidente do Instituto Politécnico de Leiria, Nuno Mangas, revelou que as academias estão vocacionadas para o software industrial PLM (Product Lifecycle Management, ou seja, gestão do ciclo de vida dos produtos) e destinam-se a alunos dos departamentos de Engenharia Mecânica e Engenharia Eletrotécnica. 
 
Os estudantes que ingressarem nas academias receberão formação ao longo dos vários anos do curso, com a complexidade a aumentar de ano para ano. Segundo Nuno Mangas, as academias, “equipadas com dois laboratórios com software de ponta”, vão estar “a funcionar em pleno no próximo ano letivo” e constituem-se como uma forma de “aproximar o sistema de ensino e formação à realidade empresarial”.
 
O dirigente do IPL realça que o objetivo destas novas academias de formação “é que os estudantes tenham uma formação prática de grande aplicabilidade, em particular na indústria da região”, ligada “aos moldes e aos plásticos”, estando patente a intenção de promover uma ligação entre a instituição de ensino leiriense e “as empresas” da zona.
 
O projeto, que é uma parceria entre Siemens, IPL e a empresa Cadflow, tem também associadas a Nerlei (Associação Empresarial da Região de Leiria) e a Cefamol (Associação Nacional da Indústria de Moldes), com vista a “dar um sinal de que este tipo de academias vai contribuir para uma maior empregabilidade dos alunos e para ligar as empresas às academias”.
 
Para além da formação, o IPL pretende também utilizar as academias como um suporte “para projetos de investigação aplicada para o tecido empresarial”, concluiu Nuno Mangas.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close