i9magazine

Sete em cada dez profissionais portugueses usam redes sociais no trabalho

Versão para impressão

Pesquisas e especialistas alertam, contudo, que o uso pessoal excessivo dessas tecnologias no ambiente corporativo traz prejuízos às empresas. Um estudo levado a cabo pelo Instituto de Tecnologia Política de Washington, nos Estados Unidos, revela que esse uso pode reduzir em 25% a produtividade no trabalho.

Whatsapp: a ferramenta da distração nas empresas portuguesas

Segundo o estudo, que contou com a participação de 3.754 profissionais registados no portal jobatus.pt, 74% dos utilizadores afirmaram fazer uso de alguma rede social no horário de trabalho. De um modo geral, o Whatsapp é o que mais interfere na produtividade dos profissionais portugueses, 68% afirmaram utilizar a app de mensagens com fins pessoais enquanto trabalham, sendo 89,4% mulheres e 82,7% homens.

O Facebook é a segunda rede social mais utilizada, com uma percentagem de 63,4%, sendo 56% dos utilizadores mulheres. O Google + tem cerca de 37,2% de utilizadores, o Linkedin 32%, o Twitter 28% e o Instagram 21%.

Willcker Braga, Country Manager Jobatus Portugal, acredita que o Whatsapp é a rede social mais prejudicial na hora do trabalho: “as pessoas não conseguem desligar-se um minuto sequer. Devido ao seu carater instantâneo e de baixo investimento, o uso pessoal da aplicação em ambiente de trabalho torna-se mais fácil e em alguns casos muito difícil de impedir”.

Quase 30% dos profissionais portugueses gastam mais de sessenta minutos de trabalho no smartphone

Tendo em consideração que 67% dos utilizadores de telemóvel têm smartphones em Portugal, o estudo da Jobatus comprova que, no ambiente de trabalho, a principal plataforma de acesso à internet para uso pessoal acontece através do smartphone. 28,2% dos entrevistados afirmaram gastar mais de uma hora do trabalho em apps no smartphone. Desses, 14,3% consultam o telemóvel a cada 15 minutos. Esse número sobe para 19,4% quando o intervalo é entre uma e duas horas e sobe ainda mais para quem verifica o telemóvel a cada 30 e 60 minutos, 27,1%.

Quanto ao impacto nos resultados e produtividade, 34,8% dos usuários acreditam que o uso dessas ferramentas não causa distração e apenas 8,2% dizem acreditar que esse uso é prejudicial.

 De insónia e depressão à imagem profissional

Psicólogos e profissionais de Recursos Humanos alertam para as consequências do uso excessivo de smartphones em locais de trabalho. A psicóloga e analista de comportamento, Michelle Verneque, acredita que, além de trazer prejuízos pessoais, como vício, depressão e insónia, o mau uso da tecnologia traz prejuízo à empresa, prejudicando a produtividade do funcionário.

A analista do comportamento alerta ainda que o mau uso da tecnologia pode prejudicar o rendimento e denegrir a imagem do profissional: “o funcionário que utiliza redes sociais e todas essas novas tecnologias em excesso passa a ser visto como improdutivo e irresponsável e pode passar uma imagem de que o seu emprego não é visto como algo importante, pois demonstra pouca dedicação”, observa.

O conteúdo Sete em cada dez profissionais portugueses usam redes sociais no trabalho aparece primeiro em i9 magazine.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close