Mundo

Royal College of Art cria módulo dedicado à cortiça

Os alunos do Mestrado em Design do Royal College of Art, em Inglaterra, podem, a partir de agora, frequentar um módulo dedicado à cortiça. Tal tornou-se possível graças a uma parceria entre a prestigiada instituição de ensino e a Corticeira Amorim.
Versão para impressão
Os alunos do Mestrado em Design do Royal College of Art, em Inglaterra, podem, a partir de agora, frequentar um módulo dedicado à cortiça. O estudo e utilização deste material, tradicionalmente português, no desenvolvimento de projetos de design e arquitetura tornou-se possível graças a uma parceria estabelecida entre aquela prestigiada instituição de ensino e a Corticeira Amorim.
 
Em comunicado, a empresa nacional explica que esta parceria é “a mais recente de uma série de associações com instituições de referência internacional”, parte de uma “estratégia concertada” que pretende tornar a cortiça um material privilegiado entre as escolhas de designers e arquitetos a nível internacional.
 
Para Carlos de Jesus, diretor de comunicação e marketing da Corticeira Amorim, visto que “o Royal College of Art leciona um curso de design altamente reconhecido” em todo o mundo, “esta colaboração é uma oportunidade de colocar uma comunidade de estudantes tão competente e promissora em contacto com a cortiça, descobrindo as suas propriedades e virtualidades técnicas”. 
 
No âmbito do Mestrado em Design da escola britânica, os estudantes poderão saber mais sobre a temática da cortiça e do Montado, sendo incentivados a explorar os materiais através dos processos e a desenvolver conceitos com um objetivo claro de produção.
 
“A parceria com a Corticeira Amorim possibilitou que embarcássemos num desafiante e estimulante período de investigação, que culminou na utilização de um material fantástico para o design de produto”, consideram Harry Richardson e Max Lamb, docentes do Royal College of Art que coordenam este módulo.
 
“Em muitos sentidos, a cortiça é o ponto de partida perfeito para pensar os produtos do futuro. Carateriza-a um tão vasto leque de propriedades que, sendo desejáveis, permitem infindáveis soluções criativas”, acrescentam.
 
Os professores congratulam-se ainda com o facto de “a maioria das ideias e produtos resultantes desta investigação” não serem “apenas inovadores e integradores das propriedades singulares da cortiça na sua funcionalidade”, testemunhando “também uma visão de produção sustentável”. “E isso é realmente entusiasmante”, garantem. 

Alunos estão já a conceber produtos em cortiça
 

Sob o mote “I am 7 billion”, os alunos deste módulo estão a ser “desafiados a conceber um produto ou aplicação com cortiça que seja útil, relevante, de estética apurada, passível de se produzir em massa e de ser comercializado em qualquer parte do mundo”. 
 
A inclusão do módulo dedicado à cortiça representa a primeira etapa do projeto desenvolvido com o Royal College of Art. Dois meses depois do início do projeto, foram já apresentados os primeiros protótipos, que, segundo a Corticeira Amorim, “evidenciam o elevado nível teórico e técnico dos alunos e o seu entusiasmo relativamente à cortiça”.
 
A propósito dos primeiros resultados, Carlos de Jesus destaca “uma abordagem diferenciadora da utilização da cortiça, que apresentou soluções interessantes para indústrias tão variadas como a automóvel e a aquacultura, a construção e o design de interiores”. 
 
Paralelamente ao trabalho desenvolvido com o Royal College of Art, a Corticeira Amorim tem vindo a desenvolver uma série de parcerias e iniciativas para elevar o perfil da cortiça no mundo, como o envolvimento com o Serpentine Gallery Pavilion, liderado por Herzog & de Meuron e Ai Weiwei, e com instituições como o Domaine de Boisbuchet (França), a Middlesex University (Reino Unido) e a Rhode Island School of Design (EUA).

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close