Ciência

Rocha encontrada em Marrocos pode ser de Mercúrio

Astrónomos da Universidade de Washington, EUA, acreditam ter identificado, pela primeira vez um meteorito oriundo de um outro planeta: Mercúrio.
Versão para impressão
A maior parte dos meteoritos identificados no nosso planeta provêm do planeta Marte ou da Lua. Mas, agora, astrónomos da Universidade de Washington, EUA, acreditam ter identificado, pela primeira vez, um meteorito oriundo de um outro planeta: Mercúrio. 
 
Até à data já foram identificados, em solo terrestre, centenas de meteoritos vindos do espaço: destes, cerca de 100 foram identificados como pertencentes ao planeta Marte, outros 200 terão vindo da Lua e outros provêm de asteroides ou cometas. 
 
A nova rocha encontrada foi recolhida no sul de Marrocos, em 2012, e adquirida por um colecionador de meteoritos alemão, Stefan Ralew, que se mostrou intrigado com a cor esverdeada e a aparência vidrada e enrugada da pedra.

A rocha adquirida pelo alemão pesa cerca de 100 gramas e é apenas uma das cerca de 35 rochas semelhantes encontradas no local. Stefan Ralew quis saber mais pelo que enviou a rocha para os peritos em meteoritos da Universidade de Washington St. Louis. 


Randy Korotev, um dos especialistas que está a analisar a pedra, confirma, num comunicado divulgado pela universidade, que esta é uma descoberta “excecional,” já que se trata de um acondrito, um vestígio raro que corresponde apenas a cerca de 5 por cento dos meteoritos encontrados até agora. 
 
Image and video hosting by TinyPic


Quase 90 por cento dos vestígios rochosos de meteoritos pertencem a um outro tipo, os condritos, sendo que há ainda meteoritos rocho-metálicos (siderólitos) e metálicos (sideritos).
 
Os cientistas acreditam que os acondritos são fragmentos de asteroides de grandes dimensões ou de planetas. A maior parte dos acondritos que se conhecem provêm do asteroide Vesta (na foto acima) e alguns de Marte ou da Lua. Mas a nova rocha não corresponde a nenhuma destas origens. 
 
Com a ajuda do seu colega Tony Irving, também da Universidade de Washington St. Louis, Randy Korotev está a analisar a composição da rocha que foi batizada com o nome Northwest Africa 7325 (NWA 7325). 
 
Embora não tenham concluído a investigação, ambos os especialistas afirmam que a rocha tem uma composição muito rara e semelhante à dos dados recolhidos pela sonda Messenger, da NASA, que está a orbitar em torno de Mercúrio, pelo que acreditam que este meteorito possa ser, de facto, o primeiro encontrado na Terra com origem naquele planeta próximo do Sol.

Clique AQUI para aceder ao comunicado da Universidade de Washington St. Louis.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close