Cultura

Ribeiro Telles vence “Nobel” da Arquitetura Paisagista

O arquiteto português Gonçalo Ribeiro Telles vai ser distinguido esta quarta-feira com o Prémio Sir Geoffrey Jellicoe, na Nova Zelândia, galardão considerado o "Nobel" da Arquitetura Paisagista.
Versão para impressão
O arquiteto português Gonçalo Ribeiro Telles vai ser distinguido com o Prémio Sir Geoffrey Jellicoe, em Auckland, na Nova Zelância. O galardão que é considerado o “Nobel” da Arquitetura Paisagista será atribuído a Ribeiro Telles pela Federação Internacional dos Arquitetos Paisagistas (IFLA, sigla em inglês) esta quarta-feira.
 
Segundo a Associação Portuguesa dos Arquitetos Paisagistas (APAP), este prémio tem como objetivo “reconhecer um arquiteto paisagista cuja obra e contribuições ao longo da vida tenham tido um impacto incomparável e duradoiro no bem-estar da sociedade e do ambiente e na promoção da profissão”.
 
A associação contou à agência Lusa que a entrega do prémio acontecerá esta quarta-feira numa sessão do congresso, onde Miguel Braula Reis, presidente da APAP, vai estar em representação de Gonçalo Ribeiro Telles. O arquiteto que não poderá estar presente na cerimónia será homenageado com a leitura de uma conferência da sua autoria e com uma mensagem de agradecimento pelo seu trabalho.
 
A APAP salienta que Gonçalo Ribeiro Telles “é premiado por uma excecional carreira de setenta anos, poucos meses depois de ver garantida a continuidade do corredor verde de Lisboa, uma ideia que lançou em 1968”.
 
O júri do prémio é composto por arquitetos paisagistas das quatro regiões da IFLA, “que representam o âmbito académico, a prática pública e privada, e possuem um profundo conhecimento da profissão, dos seus profissionais-chave e da prática internacional”.
 
O galardão criado em 2004 equipara-se a um “Nobel” e tem como paralelo o Prémio Pritzker da arquitetura. O prémio comemora todos os anos a contribuição do arquiteto paisagista britânico Sir Geoffrey Jellicoe, fundador da IFLA.
 
Gonçalo Ribeiro Telles é responsável por várias obras em Portugal, sendo de destacar o Corredor Verde de Monsanto, a Estrutura Verde Principal de Lisboa, os jardins da sede da Fundação Calouste Gulbenkian e ainda os projetos do Vale de Alcântara, da Radial de Benfica, do Vale de Chelas, e do Parque Periférico.

Notícia sugerida por Elsa Martins

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close