Ambiente

Reino Unido: cursos para salva-vidas de baleia

Uma organização não governamental (ONG) britânica está a oferecer cursos para voluntários que queiram ser especialistas em primeiros socorros de mamíferos marinhos, noticia a BBC. O encalhamento destes animais regista-se um aumento de 25%, em todo o
Versão para impressão
Uma organização não governamental (ONG) britânica está a oferecer cursos para voluntários que queiram ser especialistas em primeiros socorros de mamíferos marinhos, noticia a BBC. O encalhamento destes animais regista-se um aumento de 25%, em todo o mundo, nos últimos anos.

Atualmente, a ONG British Divers Marine Life Rescue (BDMLR) emprega e dá formação a cerca de 2.500 especialistas que se encontram destacados em vários pontos do país. Esta ONG tem um número de emergência para salvar mamíferos marinhos como golfinhos e baleias encalhados que funciona 24 horas por dia.

Segundo os especialistas, o número de encalhamentos de mamíferos no país tem aumentado e atualmente chega a 500 por ano.

Em setembro, o diretor da BDMLR, o biólogo Alan Knight, viajou por terra, água e ar para salvar uma baleia corcunda que corria risco de vida porque sua cauda tinha ficado presa numa corda, nas ilhas Shetlands, na costa da Escócia. A baleia acabou por partir a corda e poderá ter seguido em liberdade ou ter-se afogado.

Outro resgate que emocionou os britânicos ocorreu em 2006, quando a BDMLR participou na operação de salvamento de uma baleia que ficou encalhada numa passagem do rio Tâmisa, que atravessa Londres. Infelizmente, a baleia (da espécie Hyperoodon ampullatus) acabou por falecer.

Porém, em entrevista à BBC, Alan Knight afirma que ele e sua equipa aprenderam lições valiosas com a experiência. “Estudos de patologia nessa e noutras baleias que morreram durante resgates ajudaram-nos a entender o que acontece quando as baleias encalham na praia”, disse o biólogo.

Novos procedimentos de salvamento

“Como resultado, nós mudamos nossos procedimentos”, sublinha. Segundo Knight, quando os músculos da baleia se rompem, ocorre a liberação de uma substância chamada mioglobina que bloqueia o funcionamento dos rins do animal, contribuindo para a sua morte.

“Hoje em dia sabemos que, para evitar o sofrimento do animal, devemos fazê-lo dormir antes de tentar resgatá-lo”.

Estudos feitos por especialistas em todo o mundo mostram que as baleias, assim como outros cetáceos, estão sob crescente ameaça por atividades humanas. Em todo o mundo regista-se um aumento de 25% no número de encalhamentos nos últimos anos.

Entre os perigos, estão redes de pesca lançadas por navios pesqueiros, choques entre barcos e animais e substâncias poluentes que enfraquecem sua imunidade.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close