Ciência

‘Rei do Gore’: Descoberto antepassado do T. rex

Um antepassado do tiranossauro Rex, o maior dinossauro carnívoro que terá existido na Terra, acaba de ser descoberto nos EUA. O crânio do avô do T-rex é tão feio e temível que já recebeu a alcunha de ?Rei do Gore?.
Versão para impressão
Um antepassado do tiranossauro Rex, o maior dinossauro carnívoro que terá existido na Terra, acaba de ser descoberto nos EUA. O crânio do avô do T-rex é tão feio e temível que já recebeu a alcunha de ‘Rei do Gore’.  

A nova espécie descoberta terá vivido há 95 ou 70 milhões de anos numa zona dos Estados Unidos conhecida por Laramidia (no sul do estado do Utah) que, durante o período Cretáceo, esteve separada da parte Este daquele continente por uma língua de mar.

A descoberta do antepassado do tiranossauro Rex foi anunciada esta semana e já foi publicada no jornal PLoS ONE. O crânio do animal foi exibido no Museu de História Natural do estado do Utah, na cidade Salt Lake City.

Uma nuca larga, os olhos focados para a frente, um focinho proeminente e uma dentadura muito aguçada conferem ao ‘novo’ dinossauro um aspeto tão assustador que esta espécie foi batizada de Lythronax argestes, sendo que a primeira palavra significa, literalmente, ‘Rei do Gore’.

Anteriormente, os paleontólogos pensavam que este tipo de tiranossauro de crânio largo só tinha existido há 70 milhões de anos, mas os investigadores confirmaram que o Lythronax existiu pelo menos 10 milhões de anos antes.

A investigação, financiada pela National Science Foundation, foi liderada por Mark Loewen, especialista do Museu de História Natural do Utah que também é professor adjunto do departamento de geologia da Universidade do Utah. 

12 espécies de dinossauros descobertas

O Lythronax foi descoberto num vale da zona sul de Laramidia conhecido como Grand Staircase-Escalante National Monument (GSENM) que se estende por quase 800 mil hectares. Esta vasta região foi uma das últimas zonas a ser cartografadas no sul dos Estados Unidos. A região está classificada como monumento nacional pela riqueza paleontológica que possui.

Só nos últimos 14 anos, equipas de diversas instituições que trabalham no terreno encontraram mais de 12 espécies 'novas' de dinossauros no GSENM. A região contém também precisos fósseis de plantas, insetos, bivalves, peixes e anfíbios, entre outras espécies.

Num comunicado de imprensa da Universidade do Utah, Philip Currie, um outro investigador que participou na descoberta, garante que o “Lythronax é um maravilhoso exemplo de quando ainda temos para aprender sobre o mundo dos dinossauros”, acrescentando que há “ainda muitos fósseis fascinantes para serem descobertos no Grand Staircase-Escalante National Monument.”

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close