Em Destaque Gastronomia

Como fazer refeições mais sustentáveis no dia-a-dia?

A Associação Portuguesa de Nutrição dá-nos recomendações de como implementar uma alimentação mais sustentável.
Versão para impressão
por redação

A alimentação que temos no dia-a-dia pode ter um forte impacto no ambiente, economia ou sociedade, pelo que devemos procurar fazer escolhas mais sustentáveis sob o ponto de vista alimentar. Por essa razão, a Associação Portuguesa de Nutrição lançou um conjunto de recomendações sobre como implementar, no dia-a-dia, refeições cada vez mais sustentáveis. Estas estão disponiveis no Ebook agora lançado pela APN “Alimentar o Futuro, Uma Reflexão sobre Sustentabilidade Alimentar”.

A Dieta Mediterrânica pode ser uma das alternativas mais adequadas para modificar hábitos de consumo, de forma a promover uma alimentação mais saudável e sustentável. Nas palavras de Helena Real, Secretária-Geral da Associação Portuguesa de Nutrição, “atualmente não é suficiente queremos ter uma alimentação saudável. Temos que ter também uma alimentação mais sustentável. Neste contexto, pequenas escolhas no nosso dia-a-dia podem fazer a diferença. Opções como escolher produtos nacionais, preferencialmente locais, frescos e sazonais e procurar fazer refeições com maior quantidade de produtos de origem vegetal e menos de origem animal, são alguns dos exemplos possíveis. Desta forma, uma alimentação sustentável não é apenas o reflexo do impacto ambiental, também depende de outros fatores como, por exemplo, a adequação nutricional, a cultura alimentar e a acessibilidade.”

Neste contexto, é possível fazer pequenas escolhas no dia-a-dia no que respeita à construção das refeições, que podem fazer a diferença em termos de sustentabilidade alimentar. Entre as medidas recomendadas pela APN, destacam-se:

  1. Realizar uma lista de compras e adquirir apenas os alimentos que serão consumidos.
  2. Ocupar ¾ do prato com alimentos de origem vegetal.
  3. Limitar a ¼ do prato os alimentos de origem animal.
  4. Aumentar o consumo diário de leguminosas e utilizá-las em substituição da carne, pescado ou ovos em algumas refeições da semana.
  5. Servir as porções em função da Roda da Alimentação Mediterrânica e em conformidade com as necessidades energéticas e nutricionais de cada indivíduo.
  6. Preferir alimentos locais e da época.
  7. Reduzir o desperdício na preparação e confeção dos alimentos.
  8. As panelas de pressão permitem cozinhar mais rapidamente e economizar mais energia. Limitar o uso de forno.
  9. Preferir embalagens familiares, ao invés de embalagens individuais. Adquirir produtos avulso.
  10. Atentar à data de validade dos produtos e acondicionar na zona frontal os alimentos com a data de fim mais próxima.

 

As recomendações podem ser consultadas na íntegra no e-book “Alimentar o futuro – uma reflexão sobre sustentabilidade alimentar”, disponível no site da Associação Portuguesa de Nutrição em: www.apn.org.pt

Estas recomendações surgem no âmbito do Programa de Sensibilização e Informação sobre Sustentabilidade Alimentar da APN, uma iniciativa com o objetivo de consciencializar os profissionais e a comunidade para os benefícios de uma alimentação sustentável. Mais informações em: http://apn.org.pt/ver.php?cod=0D0K

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close