Em Destaque Negócios e Empreendorismo

Recordes para exportações de cerâmica e cristalaria nacionais

Europa continua a ser o destino eleito
Versão para impressão
por redação

2016 foi mesmo o melhor ano de que há registo para as exportações de produtos cerâmicos e de cristalaria. O valor das exportações na cerâmica ascendeu a 701 milhões de euros, o mais elevado de sempre. A cristalaria não fica atrás. Neste setor, as exportações nacionais cresceram 12,3% e alcançaram também o seu máximo histórico, movimentando 82 milhões de euros.

Após a crise económica mundial de 2008-2009, as exportações portuguesas de cerâmica conseguiram crescer de uma forma sustentada. Só em 2016 ultrapassaram os 701 milhões de euros, o que corresponde ao valor mais elevado de sempre, representando uma variação de 6,3% face a 2015 (indicador compara com a média de 0,9% obtida para o conjunto das exportações nacionais de bens).

O bom desempenho das exportações de cerâmica refletiu-se também na sua contribuição para a balança comercial portuguesa. Em 2016 cifrou-se nos 573 milhões de euros e a taxa de cobertura das importações pelas exportações ascendeu a 547% (de referir que a taxa de cobertura média para o conjunto de bens foi de 82,4%). Este foi o terceiro melhor desempenho em termos globais (a seguir aos minérios e às pastas de madeira) e ainda o sétimo melhor desempenho em termos do saldo de comércio internacional.

França é o principal mercado de destino, seguindo-se Espanha, Estados Unidos, Alemanha e Reino Unido.

No que concerne a exportações nacionais de objetos de vidro para serviço de mesa e cozinha (cristalaria), 2016 atingiu também máximos históricos dignos de registo. Entre 2014 e 2016, as exportações de cristalaria cresceram 20,6%, fixando-se nos 82 milhões de euros (registou uma variação de 12,3% face a 2015). Este é o valor mais elevado de que há registo.

O saldo da balança comercial de cristalaria foi de 40 milhões de euros. Já a taxa de cobertura das importações pelas exportações ascendeu a 196% (de referir que a média para o conjunto de bens é 82,4%).

“O design, a qualidade, a aposta na inovação são alguns dos atributos que têm pesado nestes valores francamente positivos para a Indústria Cerâmica e Cristalaria. E não obstante a grave crise económica que afetou o setor e a já famigerada concorrência desleal de países terceiros, em particular dos países asiáticos, não deixa de ser admirável este valor recorde das nossas exportações em 2016. Estes resultados são a prova da visão, do espírito de resiliência e empenho dos empresários do nosso setor, dos seus colaboradores e de todos os nossos associados”, reitera José Sequeira, presidente da APICER – Associação Portuguesa das Indústrias de Cerâmica e Cristalaria.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close