Cultura

Realizador de ‘A Gaiola Dourada’ distinguido em Paris

O realizador do filme 'A Gaiola Dourada' foi distinguido, este sábado, em Paris, com o Troféu Luso-Cidadão, atribuído pela 'Cívica', uma associação de eleitos de origem portuguesa. O galardão visa premiar a visibilidade que Ruben Alves deu à comunida
Versão para impressão
O realizador do filme 'A Gaiola Dourada' foi distinguido, este sábado, em Paris, com o Troféu Luso-Cidadão, atribuído pela 'Cívica', uma associação de autarcas de origem portuguesa. O galardão visa premiar a visibilidade que Ruben Alves deu à comunidade portuguesa em França. 
 
Paulo Marques, presidente da associação, garante que a escolha do vencedor do 'Troféu Luso-Cidadão 2013' foi unânime. “Foi muito oportuno falar dos portugueses e deixar que os franceses tivessem a oportunidade de entrar nas suas casas para conhecer essa parte escondida e não visível da comunidade portuguesa”, explicou o responsável à Lusa. 
 
Segundo o dirigente associativo, este prémio é uma forma de agradecer a Ruben Alves por ter posto a comunidade portuguesa em evidência, “com risos, choros, lágrimas e muito humor”. 
 
Embora consciente de que o filme surgiu numa altura em que se assiste a uma nova vaga de emigração, o realizador lusodescendente diz-se “surpreendido” com a receção que o filme teve em Portugal.

“Recebo este prémio com muito orgulho”, confessou Ruben Alves, para quem é extremamente “gratificante” ter conseguido chegar a um tão elevado número de pessoas “através de uma história pessoal”. “No filme há uma 'portugalidade', uma alma portuguesa que qualquer português no mundo pode sentir”, realçou.

“A diferença entre a emigração que é retratada no filme e a de agora é a esperança. Antigamente havia esperança. Eles iam para fora para encontrar um trabalho melhor. Hoje em dia, já é mais complicado porque vão-se embora de um país onde já não têm oportunidades, onde já não há esperança ou então há muito pouca. Então vão para fora, porque não têm hipótese. Claramente não é a mesma coisa”, defendeu o realizador.

 
Segundo Ruben Alves, a nova vaga de emigrantes não se revê, provavelmente, nas situações retratadas em 'A Gaiola Dourada', mas vai, certamente, identificar-se com algo comum às duas gerações de emigrantes: “a alma portuguesa”.
 
“O ser português não se explica, é algo que temos em nós. Esta nostalgia, fatalidade e maneira de viver que sobressai no filme com esta família”, concluiu.
 
O 'Troféu Luso-Cidadão' foi criado em 2010, na comemoração dos dez anos da associação 'Cívica', com o objetivo de homenagear iniciativas privadas, associativas, ou artísticas que evidenciem de forma positiva a comunidade portuguesa residente em França.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close