Ciência

Rapaz resolve enigma matemático com 300 anos

Um adolescente tornou-se a primeira pessoa no mundo a conseguir resolver um problema matemático colocado por Isaac Newton há mais de 300 anos. Shouryya Ray, de 16 anos, diz ter desvendado o enigma que assombrou os especialistas durante um trabalho es
Versão para impressão
Um adolescente tornou-se a primeira pessoa no mundo a conseguir resolver um problema matemático colocado por Isaac Newton há mais de 300 anos. Shouryya Ray, que nasceu na Índia há 16 anos mas vive na Alemanha desde criança, diz ter desvendado o enigma que assombrou os especialistas durante um trabalho escolar.
 
A notícia é avançada pelo The Sunday Times, que conta que, graças aos seus esforços, Shouryya ganhou uma bolsa de investigação e está a ser apelidado de “génio” pela imprensa alemã, embora o jovem considere que a descoberta se deve somente “à curiosidade e à inocência de um estudante”.
 
Shouryya Ray mudou-se para a Alemanha quando tinha 12 anos depois de o pai, engenheiro, ter conseguido emprego naquele país. Segundo o rapaz, foi precisamente o progenitor que o contagiou com uma paixão pelos números que se prolongou no tempo. 
 
“Quando nos explicaram que o problema não tinha solução, pensei para mim próprio: «Bom, não custa tentar»”, revelou, em entrevista ao jornal britânico, referindo-se ao cálculo exato da trajetória de um projétil submetido à força da gravidade e à resistência do ar.
 
O problema foi colocado por Isaac Newton no século XVII e, desde então, os matemáticos de todo o mundo e de diferentes épocas têm tentado desconstruí-lo, obtendo apenas, até agora, soluções parciais. Porém, com Shouryya, essa realidade mudou.
 
O seu pai, Subhashis, confessou que o poder matemático do filho o surpreendeu e ultrapassou totalmente os seus conhecimentos, mesmo sendo estes muito consideráveis. “Ele nunca debateu o projeto comigo antes de o ter terminado e os cálculos que usou estão muito além do meu alcance”, admitiu. 
 
Como se não bastasse, Shouryya solucionou ainda outro enigma relacionado com a colisão entre um corpo e uma parede, debatido desde o século XIX. Ambos os problemas resolvidos pelo estudante são da área da dinâmica e espera-se agora que as soluções que apresentou contribuam para maior precisão em domínios como a balística.
 
Quanto ao jovem, prepara-se para concluir o ensino secundário, faltando-lhe apenas, para isso, a realização dos exames finais na escola que frequenta, na Alemanha, com dois anos de avanço em relação aos colegas.
 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Mais recentes

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close