Saúde

Próstata: Dieta rica em tomate reduz risco de cancro

O tomate pode ser um bom aliado dos homens no que toca à prevenção do cancro da próstata. A conclusão é de um novo estudo que revela que o consumo de mais de 10 porções deste fruto por semana reduz em 18% o risco da doença.
Versão para impressão
O tomate pode ser um bom aliado dos homens no que toca à prevenção do cancro da próstata. A conclusão é de um novo estudo desenvolvido por três universidades britânicas que revela que o consumo de mais de 10 porções deste fruto por semana reduz em 18% o risco de vir a sofrer da doença.
 
A investigação, conduzida pelas universidades de Bristol, Cambridge e Oxford, em Inglaterra, procurou compreender se o seguimento das recomendações dos especialistas em termos de estilo de vida e dieta é, de facto, eficaz na proteção contra esta patologia, analisando os casos de 1.806 homens com idades entre os 50 e os 69 com cancro da próstata e comparando-os com 12.005 homens saudáveis.
 
A equipa de cientistas responsável pelo estudo, cujos resultados foram publicados esta semana na revista científica Cancer Epidemiology, desenvolveu uma espécie de “índice de dieta” que consiste em três componentes, o selénio, o cálcio e os alimentos ricos em licopeno, todos associados ao cancro da próstata, e observou que os homens que apresentavam um consumo ótimo destes componentes beneficiavam de menor risco.
 
O tomate (e os seus derivados, como, por exemplo, o sumo de tomate) provou ser o alimento mais benéfico para a prevenção da doença, com os homens que comiam mais de 10 porções por semana a apresentar uma probabilidade 18% menor de vir a sofrer de cancro da próstata. 
 
Segundo os investigadores, coordenados por Vanessa Er, estes benefícios estão, provavelmente, associados ao licopeno, um antioxidante presente neste fruto, que lhe dá a sua cor vermelha e que combate toxinas capazes de causar danos nas células e no ADN. 
 
“A nossa descoberta sugere que os tomates podem ser importantes na prevenção do cancro da próstata”, afirma Er, alertando, porém, “que serão necessários mais estudos para confirmar estas conclusões, em particular ensaios clínicos com humanos”. 
 
Em qualquer dos casos, a especialista recomenda que, para evitar o desenvolvimento da doença, “os homens consumam uma quantidade ampla e variada de frutas e vegetais, mantenham um peso saudável e continuem ativos” ao longo da vida. 
 

Clique AQUI para aceder ao resumo do estudo (em inglês). 

Notícia sugerida por Maria da Luz

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Mais recentes

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close