Saúde

Próstata: Adesivos cutâneos eficazes contra cancro

Adesivos cutâneos - idênticos aos adesivos de nicotina - que libertam estrogénio na corrente sanguínea poderão constituir-se como um tratamento mais barato e seguro para o cancro da próstata em comparação com as terapias atuais.
Versão para impressão
Adesivos cutâneos – idênticos aos adesivos de nicotina – que libertam estrogénio na corrente sanguínea poderão constituir-se como um tratamento mais barato e seguro para o cancro da próstata em comparação com as terapias atuais. A conclusão é de um estudo britânico desenvolvido por investigadores do Imperial College London, em Inglaterra.
 
Tanto o estrogénio como a testosterona são hormonas idênticas quimicamente, explicam os cientistas responsáveis pelo estudo, pelo que aumentar os níveis de estrogénio no organismo pode reduzir a quantidade de testosterona (que desencadeia, com frequência, esta doença), atrasando a progressão do cancro. 
 
Porém, até ao momento, todos os tratamentos apresentam efeitos secundários graves. Ao passo que a terapia através de injeções de um químico para reduzir os níveis de estrogénio provoca sintomas idênticos aos da menopausa, a administração de comprimidos por via oral pode causar problemas de saúde paralelos, nomeadamente a degradação do fígado, a formação de coágulos e o aumento do risco de enfartes e AVC's.
 
Os novos adesivos de estrogénio criados pela equipa inglesa poderão, portanto, constituir-se como uma alternativa mais segura e barata para o tratamento do cancro da próstata. O grupo comparou os resultados dos adesivos e das injeções em 254 pacientes e concluiu que o novo método é fiável e pode evitar efeitos como os da menopausa.
 
“Não estamos a dizer que este sistema é equivalente às terapias atuais, mas parece que estamos a ser bem-sucedidos no que toca à redução dos níveis de testosterona no organismo por esta via”, afirma Paul Abel, um dos investigadores envolvidos, citado pela BBC, que avança a notícia.
 
Os resultados do estudo foram publicados na revista científica Lancet Oncology, mas o especialista salienta que é importante seguir os pacientes durante mais tempo para chegar a conclusões mais claras.
 
 “O próximo passo é apurar se os adesivos de estrogénio são tão eficazes a travar o crescimento do cancro da próstata como as atuais tratamentos hormonais. Atualmente, estamos a efetuar testes em mais de 600 pacientes”, acrescenta o investigador. 
 
Para Kate Law, da Cancer Research UK, instituição solidária que financiou parcialmente o desenvolvimento do estudo, os resultados deste ensaio clínico “são um importante passo em direção a tratamentos melhores e menos agressivos que possam vir a beneficiar homens com cancro da próstata no futuro.”
 
“Cada vez mais homens sobrevivem ao cancro da próstata graças aos avanços na investigação, mas continuamos a precisar urgentemente de encontrar tratamentos mais eficazes e de reduzir os efeitos secundários”, conclui Law.

Clique AQUI para aceder ao resumo do estudo (em inglês).

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close