Inovação e Tecnologia

Projeto usa Facebook para aproximar vizinhos

Numa época em que mal conhecemos os vizinhos do nosso prédio ou da nossa rua, o projeto Social Street quer inverter esta tendência usando o Facebook para criar comunidades de vizinhança como antigamente.
Versão para impressão
Numa época em que mal conhecemos os vizinhos do nosso prédio ou da nossa rua, o projeto Social Street quer inverter esta tendência usando o Facebook para criar comunidades de vizinhança como antigamente. O projeto nasceu em Itália mas também já chegou a Portugal.

O projeto Social Street começou em Bolonha, Itália, em 2013 pela mão do jornalista Federico Bastiani. O projeto consiste em criar redes que aproximam vizinhos que mal se conhecem, promovendo a interajuda e incentivando os utilizadores a promoverem atividades na sua rua.

Os benefícios diretos são vários: criar uma rede de vizinhança e de confiança entre vizinhos, aumentar a sensação de segurança na rua, e aumentar a dinâmica social através da organização de atividade e eventos entre moradores. 

 
Como é que vizinhos da mesma rua passam a conhecer-se? Abrindo um grupo de Facebook para a sua rua. Qualquer pessoa pode participar e abrir um grupo. Qualquer cidadão de qualquer cidade, interessado em criar proximidade entre os vizinhos da sua rua e fazer parte deste projeto internacional, pode abrir o grupo de Facebook da sua rua seguindo as regras do projeto. 
 
Portugal é o 2º país com Social Street
 
Portugal foi o 2º país a aderir ao Social Street. O primeiro grupo do Social Street Portugal foi lançado recentemente. É o dos Moradores da Avenida Almirante Reis, em Lisboa, e conta já com algumas dezenas de moradores e comerciantes.
 
Por cá o projeto está a ser dinamizado por Carla Isidoro, ex-jornalista que lançou a ideia ao fundador do Social Street Itália de implementar o Social Street em Portugal.  
 
“Organizar caminhadas de grupo, pedir um escadote emprestado ou um livro específico, ajudar nos trabalhos escolares das crianças, vender a sua bicicleta (já que ela está para venda, é preferível vendê-la a um vizinho e poupar nos gastos de transporte ou correio), oferecer legumes da sua horta”, são alguns dos exemplos de atividades e iniciativas que podem acontecer graças a estas redes, explica Carla Isidoro, em comunicado de imprensa enviado ao Boas Notícias.

Em Itália, o projeto já tem dezenas de grupos de diversas cidades. O projeto não pretende promover ou defender ideias políticas e religiosas, nem tem objetivos comerciais ou lucrativos. O seu único objetivo é o de aproximar vizinhos da mesma rua que não se conhecem e pô-los em contacto direto. É um projeto que em Itália está a ser acompanhado e estudado por alunos de mestrado de áreas sociais.

 
Clique AQUI para conhecer a versão portuguesa do projeto e AQUI para ver a página internacional.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close