Sociedade

Projeto luso revoluciona agricultura com apoio da UE

Um projeto português de agricultura foi aprovado para financiamento de investigação da União Europeia e promete revolucionar o setor. Desenvolvido pela Silvex, o mesmo consiste num plástico biodegradável para cobertura do solo, com vista a otimizar o
Versão para impressão
Um projeto português de agricultura foi aprovado para financiamento de investigação da União Europeia e promete revolucionar o setor. Desenvolvido pela Silvex, o mesmo consiste num plástico biodegradável para cobertura do solo, com vista a otimizar o sistema de produção e a rentabilidade das culturas. 
 
A nova aplicação vem substituir as películas de polietileno utilizadas para cobrir solos agrícolas, com benefícios para as culturas e para o ambiente. Em comunicado, a Comissão Europeia acredita que a mesma vem revolucionar a agricultura por substituir os plásticos até agora utilizados na cobertura de solos. 
 
Embora os mesmos sejam essenciais para o sucesso da agricultura, estes têm impactos ambientais significativos durante e após o ciclo da cultura, por serem derivados do petróleo. Além disso, por terem de ser removidas e encaminhadas para centros de recolha, as películas de polietileno obrigam os agricultores a custos acrescidos. 
 
Pensado ao longo dos últimos três anos por um consórcio liderado pela portuguesa Silvex, o plástico biodegradável revela benefícios “não só em termos ambientais, como ao nível do rendimento das culturas que, em alguns casos, foi superior ao registado com o plástico de polietileno”. 
 
O novo plástico biodegradável é composto por amido de milho e óleos vegetais, tendo sido testado nas culturas de morango, melão e pimento. No entanto, o mesmo pode ser utilizado noutras culturas com características semelhantes. Além disso, o Agrobiofilme foi também testado na vinha, tanto como alternativa ao polietileno, como ao solo nu e aos tubos de proteção e crescimento. 
 
Os resultados não deram conta de alterações significativas a nível da qualidade dos frutos, sendo que, na vinha, se verificou, aliás, um aumento significativo da expressão das videiras, que ficaram com mais raízes e um peso superior àquelas que foram plantadas em polietileno e em solo nu.
 
O Agrobiofilm, que teve um investimento total de cerca de 1,5 milhões de euros, já começou a ser comercializado em Portugal, Espanha e França e destina-se maioritariamente a agricultores profissionais, podendo também ser utilizado em pequenas hortas ou jardins.

Saiba mais sobre esta inovadora aplicação agrícola AQUI.

Notícia sugerida por Pedro Manuel

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close