Em Destaque Saúde

Produção de glóbulos vermelhos em grande quantidade a partir de sangue do cordão umbilical

Metodologia pode beneficiar pacientes com anemia e outras doenças do sangue
Versão para impressão
por redação

Um método desenvolvido por um grupo de investigadores permite a produção de glóbulos vermelhos em grande quantidade a partir de sangue do cordão umbilical, uma técnica que pode vir a ser utilizada na prática clínica para responder ao cenário de escassez de unidades de sangue para transfusão que se espera no futuro.

O método em causa permite multiplicar as células do sangue do cordão umbilical e diferenciá-las em glóbulos vermelhos. Esse método consiste em isolar as células do sangue do cordão umbilical e colocá-las num meio de cultura específico, adicionando fatores que potenciam o seu crescimento e a sua posterior conversão em glóbulos vermelhos. As células são mantidas, durante um período de 21 dias, numa incubadora especial, rotativa. Após a otimização do processo de produção, os investigadores verificaram que as características das células obtidas, por exemplo o conteúdo em hemoglobina e a capacidade de transporte de oxigénio, eram semelhantes às dos glóbulos vermelhos produzidos naturalmente no organismo.

Numa fase posterior, foram testadas, em modelo animal, a segurança e funcionalidade dos glóbulos vermelhos produzidos, que demonstraram ser seguros, sem a ocorrência de quaisquer efeitos adversos. Num modelo de anemia hemorrágica em primatas não humanos, os glóbulos vermelhos produzidos in vitro demonstraram capacidade para transportar oxigénio e para acelerar a recuperação hematológica.

“A nível mundial, são realizadas, anualmente, cerca de 108 milhões de doações de sangue, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Contudo, o número de dadores tem vindo a diminuir ao longo dos últimos anos, estimando-se que em 2050, o número de unidades de sangue disponíveis seja inferior à procura. Este estudo fornece evidências muito positivas de que esse problema possa vir a ser ultrapassado através da utilização de componentes sanguíneos produzidos in vitro. Com o desenvolvimento de metodologias que permitam a produção em larga-escala e de ensaios clínicos em humanos, poderemos antever a entrada deste tipo de produtos na prática clínica, com potencial para beneficiar muitos doentes”, refere Bruna Moreira, Especialista em Células Estaminais e Investigadora no Centro de I&D da Crioestaminal.

As transfusões de sangue ou componentes sanguíneos, como concentrados de eritrócitos (glóbulos vermelhos), estão indicadas para o tratamento de doentes em caso de anemia grave, hemorragia grave, hemoglobinopatias ou complicações resultantes de qualquer cirurgia.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close