Ambiente

Primeiro voo solar à volta do mundo está a chegar ao fim

A última rota do primeiro voo solar à volta do mundo está quase a chegar ao fim, marcando a primeira vez que alguém deu a volta ao globo num avião alimentado apenas a energia solar, com zero emissões. Dia 26 de Julho será histórico para a aviação.
Versão para impressão

A última rota do primeiro voo solar à volta do mundo está quase a chegar ao fim, marcando a primeira vez que alguém deu a volta ao globo num avião alimentado apenas a energia solar, com zero emissões. Dia 26 de Julho será histórico para a aviação.

O Solar Impulse 2 descolou este domingo à noite do Cairo, no Egipto, em direção a Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. A duração prevista do voo, o último de uma série de 17 jornadas, e terá a duração de dois dias e duas noites.

No entanto as condições atmosféricas ainda apresentam desafios: as elevadas temperaturas que se fazem sentir nesta altura do ano no Médio Oriente testam o limite dos critérios de design do SI2. Além disso, mesmo a elevadas altitudes, a interferência térmica e a turbulência obriga os pilotos a permanecerem com a máscara de oxigénio por períodos de tempo mais longos.

Bertrand Piccard, presidente do conselho de administração, um dos fundadores do projeto e atualmente a pilotar o SI2 em direção ao seu destino, considerou a descolagem do Egipto “muito emocional”, uma vez que foi naquele país que, em 1999, concluiu o primeiro voo ininterrupto à volta do mundo, de balão. “Foi precisamente aqui que começou o meu sonho de fazer outra circum-navegação, mas desta vez sem combustível, apenas com energia solar”.

André Borschberg, CEO, co-fundador do projeto e também piloto, acrescenta: “estou muito comovido por ver o Bertrand a descolar para a última jornada deste sonho incrível. Lembra-me a primeira vez que nos encontrámos para discutir esta missão, aparentemente impossível, e da excitação que criou na minha mente”.

O projeto nasceu da parceria entre Bertrand Piccard, médico e explorador, e André Borschberg, engenheiro e empreendedor. Ambos têm alternado a pilotagem do SI2 à volta do mundo.

O avô de Bertrand Piccard foi Auguste Piccard, o homem que inventou a cabine pressurizada para o voo de balão, mas também inventor do batiscafo, um aparelho esférico feito de aço para descer ao fundo do mar.

O seu pai, Jacques Piccard, bateu o recorde do mundo de descida no oceano através do batiscafo, atingindo uma profundidade de 10.916 metros.

A última etapa deste voo solar pode ser seguida em direto, aqui.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close