Negócios e Empreendorismo

Previsões: Fim da recessão em Portugal no 2.º trimestre

A maioria das previsões sobre a economia portuguesa no segundo trimestre aponta para o fim da recessão, antecipando-se uma evolução positiva do produto que oscila entre os 0,3% e os 0,6%.
Versão para impressão
A maioria das previsões sobre a economia portuguesa no segundo trimestre aponta para o fim da recessão, antecipando-se uma evolução positiva do produto que oscila entre os 0,3% e os 0,6%.
 
A estimativa mais otimista é a da Universidade Católica, que calcula que o PIB terá crescido 0,6% entre Abril e Junho de 2013, pondo fim a 10 trimestres consecutivos de contração económica.

No boletim trimestral divulgado em julho, os analistas da Católica ligados ao Núcleo de Estudos de Conjuntura sobre a Economia Portuguesa (NECEP), explicam esta inversão da tendência sobretudo com o comportamento positivo das exportações.
 
No entanto, para o conjunto de 2013, o NECEP continua a antecipar uma queda de 2,4% do produto, estimando que o ritmo de contração da economia se mantenha, mas abrande em 2014, para os -0,4%.

O Montepio apresentou já este mês as suas previsões para o desempenho da economia entre Abril e Junho e antecipa um crescimento de 0,4% neste período.

O indicador do banco para o PIB sinaliza um acréscimo de 0,4%, revertendo a queda do primeiro trimestre de  2013, bem como a importância do consumo privado e do setor industrial para a inversão do comportamento do produto.

 
Também o Crédit Suisse estima que, no segundo trimestre deste ano, Portugal tenha interrompido o ciclo recessivo, antevendo que a economia tenha crescido 0,3%, em cadeia.
 
Num relatório divulgado na semana passada, o banco suíço diz esperar que “a zona euro saia da recessão no segundo trimestre [de 2013] com o PIB a subir 0,3% em cadeia, depois de uma queda de -0,3% no primeiro trimestre”.
 
“Os dados gregos e os portugueses mostram algumas melhorias. Em particular, esperamos que Portugal saia da recessão, apresentando um crescimento em cadeia de 0,3%”, lê-se no documento.

BBVA com estimativa menos positiva

No entanto, nem todas as estimativas apresentadas apontam neste sentido. O gabinete de estudos do banco espanhol BBVA, por exemplo, prevê que Portugal se tenha mantido em terreno negativo entre Abril e Junho.

 
Os economistas do banco calculam que o PIB português tenha caído entre 0,1% e 0,2% no segundo trimestre e mantêm as previsões para 2013, calculando que a recessão se mantenha mas que abrande, para os -2,3%, depois da contração de 3,3% registada em 2012.
 
A instituição refere ainda que “o único apoio” que a economia portuguesa vai ter para que o ritmo da recessão abrande é “a significativa contribuição positiva das exportações líquidas”, reconhecendo que isso vai compensar em certa medida a contração da procura interna.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close